segunda-feira, 6 de julho de 2015

Lançamento Devir: Parker - O Caçador



A Devir vai lançar mais um "Romance Gráfico" (Graphic Novel) no seu selo "A Biblioteca de Alice". E esta "biblioteca" começa a ficar muito bem composta como podem verificar pelos títulos já publicados!
Parker: O Caçador é o título mais recente e vem demonstrar que editorialmente os Romances Gráficos vieram para ficar (felizmente).

Também é com agrado que vejo uma obra de um dos meus desenhadores preferidos ser publicada em português:  Darwyn Cooke! Se clicarem no nome dele irão parar a um post que já tinha feito sobre este artista.
:)

Fiquem com a informação da Devir respeitante a este título originalmente publicado nos EUA pela IDW:

PARKER: O CAÇADOR
De Richard Stark

Adaptado e ilustrado por Darwyn Cooke O CAÇADOR conta a história de um homem traído pela mulher que amava e ultrapassado pelo seu colega no crime. Parker atravessa o país com apenas um pensamento – vingar-se e reclamar o que lhe foi tirado.

Os autores
Richard Stark é o pseudónimo mais conhecido de Donald E. Westlake. Entre 1962 e 1974, escreveu 24 romances literários sobre Parker, um ladrão profissional implacável e sem piedade.
Parker teve oito adaptações ao cinema.

Donald Edwin Westlake, tem mais de 100 obras e livros de não-ficção da sua autoria. A sua especialidade é ficção criminal, com ocasionais incursões em outros géneros e na ficção científica.
Foi vencedor de três Prémios Edgar.

144 páginas a cores
FORMATO: 150x230 mm
ISBN: 978-989-559-259-3
EAN: 9789895592593
PREÇO: €19,99 PVR
Edições Devir | Coleção Biblioteca de Alice




Boas leituras
Deixa o teu comentário

sábado, 4 de julho de 2015

Séries TV: Espaço 1999



Acho que todas as crianças sonham com as estrelas (leia-se Espaço)!
Deve ser um dos principais motores da imaginação de um jovem normal, o que será que existe para além do negrume profundo do céu estrelado nocturno?
Outras espécies sencientes?
Mistérios fantásticos à espera de serem descobertos?
Viagens espaciais?
Seremos capazes um dia de viajar à velocidade da luz, ou usarmos wormholes?
Colonizar outros planetas?
Monstros?

A série Espaço 1999 caiu que nem uma pedra na minha juventude por isso tudo. Havia um espaço vazio neste tipo de registo, e Star Trek ainda não tinha sido exibido em Portugal! Sim, internacionalmente o Espaço 1999 veio ocupar a lacuna do término da série original Star Trek uns anos antes, mas aqui funcionou ao contrário… O Caminho das Estrelas veio ocupar o vazio deixado pelo Espaço 1999… enfim, Portugal!



O Espaço 1999 começou a ser exibido na RTP1 a preto e branco em 1977 e foi um êxito imediato por mexer muito com a nossa imaginação. Para mim ainda hoje foi das melhores premissas para uma série de FC puro: a Lua afastar-se da Terra com humanos “a bordo”! E aí começa a saga, com efeitos especiais muito bons para altura.

A série teve duas temporadas de 24 episódios cada uma, imaginados por Gerry Anderson e Sylvia Anderson para a ITV. Os cenários da série foram muito baseados no filme de Stanley Kubrik 2001: Odisseia no Espaço, mas nós crianças nem sabíamos que esse filme existia. Eu tinha 12 anos, portanto uma idade muito impressionável pelo fantástico, e a série bateu-me que nem um pedregulho. A primeira temporada teve episódios bastante mais complexos que a segunda, por vezes bastante filosóficos, e sobretudo provocava-me medo e calafrios… nunca mais me hei-de esquecer do episódio “Dragons Domain”! Tive pesadelos durante vários dias…

A segunda temporada foi mais virada para a acção, por vezes bastante mais infantil, em que surgiram bastantes novas personagens (incluindo uma transmorfa), e assistiu-se ao desaparecimento de outras que não se coadunavam com o novo rumo da série. Os fãs hardcore detestaram esta segunda temporada… eu por mim, e com a idade que tinha, foi um alívio! Mais acção e humor em vez do terror latente que muitos episódios da primeira me provocavam!

A acção andava sempre à volta do Comandante John Koenig, da médica Helena Russel, do piloto Alan Carter e do professor Victor Bergman. Na segunda temporada este último desapareceu, e foi feita a inclusão de Maya (a trás referida transmorfa). Na segunda temporada alguém resolveu colocar romance na série e passamos a ter dois casalinhos… o Comandante e a médica (casados na vida real), e o chefe de Segurança (Tony Verdeschi) e a transmorfa. Mais uma vez os fãs hardcore da série ulularam de fúria e repulsa!

A Terra decidiu colocar o seu lixo atómico e radioactivo na Lua para não contaminar mais o planeta. Mas todos os exageros levam à catástrofe, e após uma explosão nuclear em cadeia do lixo atómico a Lua é expulsa da órbita terrestre a grande velocidade. A partir daí a imaginação é o limite!
Raças estranhas, planetas diabólicos, eventos a roçar o paranormal e uma “deliciosa” aparição da sonda terrestre Voyager, que tinha destruído uma raça quase por completo, e vindo atrás dela os sobreviventes em naves de guerra procurando vingança…

Ainda hoje sonho com os Eagles. O que eu adorava aquelas naves espaciais!
Para a série foi inclusivamente feito um Eagle à escala! Delicioso!
Ainda não perdi a esperança de conseguir um dia ter uma miniatura de uma nave destas, é um dos meus sonhos geeks.



Podem ver todos os episódios no Youtube, de vez em quando vejo um, eu por catarse já vi o “Dragons  Domain” várias vezes!

(Ninguém me oferece um Eagle?)
:D











Este texto foi escrito por mim originalmente  para o blogue do Hugo Silva:


Boas leituras



Deixa o teu comentário

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Lançamento Goody: Disney em Julho



Confiram todos os lançamentos Disney para este mês de Verão. Para já uma personagem que eu adoro faz parte da selecção deste mês de Julho: Esquálidus!
E este mês tem uma semana a mais, logo teremos também 5 Comix em vez das 4 do costume!

Fiquem com a informação da Goody:

Este mês, a banda desenhada Disney vai ser em GRANDE, tanto em termos de quantidade, como de qualidade! Vai ser a melhor companhia para o teu início de verão e férias. =)

COMIX
O mês de julho começa tranquilamente, com o Donald a descansar na sua rede, à espera que a boa banda desenhada venha ter com ele… E não é que vai mesmo?!

E que banda desenhada vai ser a Comix #135! Uma edição verdadeiramente histórica, com uma viagem até ao antigo Egito, em Bombom e o Faraó Ímpio (preparem-se para trapalhadas infindáveis…) e um regresso à misteriosa China ancestral, em A Máscara de Man Atchu, com o Fantomius a mostrar que a sua veia justiceira não tem limites geográficos e que ninguém está a salvo de ter a sua devida punição!

A Comix #136 não fica atrás da sua antecessora, pois, como podem ver, o Mickey e o Esquálidus já fizeram uma mala cheia de conteúdos imperdíveis para as suas (e tuas) férias! O tema desta edição parece ser… Futuro! É que na primeira história em destaque, o viajante do futuro – Esquálidus – vai fazer companhia ao Mickey na missão de derrotar um chantagista de peso! Será que conseguem? Isso só poderás saber em Esquálidus e a chantagem pesada!

E já pensaste, como será a arte do futuro? Bem, é isso mesmo que te propomos em mais uma grande história com o Tio Patinhas, quando este se aventura pela História de arte do Mickey em Tio Patinhas e a aventura da arte futura! Eis que chega o imponente Tio Patinhas a apontar para a localização das melhores histórias. É mesmo aqui, no meio do mês de julho, na Comix #137! Podes contar com as trapalhadas dos patos primos em Donald, Peninha e os últimos Bubalús (com história e desenho do mestre Enrico Faccini) e com contos passados num universo paralelo, como é o caso das histórias de Mickey e as crónicas da fronteira!

E as brincadeiras de verão continuam na Comix #138 e #139, que encerram o mês, com o Donald e o Mickey a irem a banhos (seja no mar ou no parque)!

Estas e muitas outras histórias aos quadradinhos na tua Comix de julho! Refresca-te!!!

HIPER
A Hiper #32 vai ser um achado! Mas vais ter que esperar um pouco mais para saber que “sumo” vem lá dentro… ;)

ESPECIAL
Tenham medo. Tenham muito, muito medo. Os monstros mais GIGANTESCOS vêm aí. Brevemente… =P

BIG
Queres encerrar o mês de julho em GRANDE? Então vais ter que esperar um pouco mais pela grandiosa BIG #9!


INFO

COMIX #135
130 páginas
01/07/2015
€1,90

COMIX #136
130 páginas
08/07/2015
€1,90

COMIX #137
130 páginas
15/07/2015
€1,90

HIPER #32
320 páginas
17/07/2015
€3,90

COMIX #138
130 páginas
22/07/2015
€1,90

ESPECIAL MONSTROS
320 páginas
24/07/2015
€3,90

BIG #9
512 páginas
28/07/2015
€4,90

COMIX #139
130 páginas
29/07/2015
€1,90































Boas leituras


Deixa o teu comentário

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Veículos Míticos da BD:
The Carrier (The Authority)



Existem veículos na Banda Desenhada que ficam retina do leitor. São bastantes, e mais do que suficientes, para criar uma rubrica sobre o assunto. Assim, vamos ter aqui no LBD os “Veículos Míticos da BD”!

É difícil escolher o primeiro para abrir a rubrica, então a sorte recaiu numa nave muito especial do universo Wildstorm: The Carrier!

The Carrier pertence a um tipo de naves criados no universo da Wildstorm, depois pontualmente aproveitado pela DC Comics, as Shift Ships.

Uma Shift Ship é um veículo capaz de não só viajar pelo espaço, como atravessar ou mover-se para outras dimensões e universos paralelos, assim como pelo espaço entre eles, espaço este conhecido no universo Wildstorm como The Bleed.

Quando a DC Comics comprou a Wildstorm a Jim Lee integrou no seu universo este tipo de naves. E como? Tornou-as um instrumento dos Monitors (Crise nas Infinitas Terras… ring any bells?)
A sua verdadeira origem é desconhecida, mas sabe-se que existem vários tipos de Shift Ships:
  • Explorer: Veículo científico sem armas de ataque, mas com capacidade de camuflagem.
  • Tanker: Estas naves eram enviadas pelos Monitores para recolha de tudo o que necessitavam, desde líquidos, gases, ou mesmo pequenos planetas e pequenas estrelas.
  • Destroyer: A mais temida Shift Ship. Autênticas máquinas de guerra capazes de destruir ou limpar a vida de um qualquer universo.
  • Hunter: Possuem armamento pesado, rápidas e essencialmente escoltavam os Tankers.
  • Carrier: Naves sencientes, enormes, rápidas e capazes das mais variadas funções. A sua flexibilidade entre muitas funções tornavam estas naves essenciais para os monitores.

E é esta última o ex-libris deste tipo de veículos. Apesar de aparições pontuais de um Explorer  (Ultima Thule), e de um Destroyer (Echo of Midnight), em Final Crisis; é o Carrier que vai estar em foco neste post. Este Carrier é tão importante que o seu nome é mesmo The Carrier!

1ª versão do The Carrier em Stormwatch

Nascido nas páginas de Stormwatch, foi a primeira Shift Ship a ser apresentada aos leitores de comics, mas foi na série Authority que conheceu o estrelato, pela mente e mão de Warren Ellis e Bryan Hitch no arco The Circle.
As suas dimensões são bem conhecidas: cerca de 80 Km de comprimento, 56 Km de altura e 3 Km de largura. Para este gigante senciente funcionar usa um universo “bébé” aprisionado no seu interior.

Passando por cima de Stormwatch (que tinha uma versão mais antiga do Carrier), esta nave servia como base operações à super equipa Authority. The Carrier conseguia reconhecer os elementos desta equipa e era essencialmente manobrado pela figura da Engineer, a bela Angela Spica.



A existência desta nave foi descoberta por Jenny Sparks (líder do grupo Authority) em 1999 servindo de “casa” a este grupo a partir daí.
Podia abrir portais em qualquer de um planeta de modo a que a equipa Authority pudesse actuar rapidamente num local preciso, assim como podia abrir esses mesmo portais para o passado, futuro e para universos alternativos ou paralelos.
A sua capacidade de viajar era total podendo deslocar-se para qualquer ponto do multiverso, mas tinha sempre a sua âncora no planeta Terra. A sua relutância em se afastar da Terra era conhecida pelos membros da Authority, de modo a que tinha de ser muitas vezes “convencido” a fazer tal…

Passou por maus bocados, como se ter despenhado na Terra (Under a New Management), ou quase ter morrido (Revolution).


A data oficial do nascimento do The Carrier é de Maio de 1999.
Uma dos mais belos e imponentes veículos da BD!
:D
E já agora, porque não dizê-lo? The Carrier foi o local do primeiro casamento gay dos comics norte-americanos (muito antes desta última febre...), e mais, continuam a ser inéditos porque depois de casados adoptaram uma criança: Jenny Quantum!
Podem confirmar tudo isto clicando no link que está associado a Authority.

The Authority

Boas leituras
Deixa o teu comentário

terça-feira, 30 de junho de 2015

Lançamento Goody: Disney Especial de Verão



É Verão, e a tradição diz que a Goody publica sempre este Disney Especial nesta altura!
Ora vejam:

Especial Verão nas bancas!!!


Todos a bordo da edição de banda desenhada mais refrescante de sempre!
O Tio Patinhas e os seus sobrinhos guiam-te nesta coletânea de BD, perfeita para levares para a praia! A tua agência de viagens somos nós mesmos: temos muita variedade para escolheres, tanto em termos de destino como de companhia. Se não repara…

Logo na primeira história, o pato mais avarento do mundo vai ensinar-te como podes ter as férias mais divertidas sem gastares muito dinheiro, em Tio Patinhas de férias com 80 euros!

A seguir, o rato mais famoso do mundo junta-se ao Horácio para umas férias no campo! Certamente será um período reparador… Mas com o Mickey já se sabe que o tempo parado não vai ser muito!!! Confere em Mickey e Horácio e as férias mugidoras!

Depois temos umas férias um pouco mais alternativas, com um dos vilões mais carismáticos do mundo da BD Disney a assumir o protagonismo: o maquiavélico Mancha Negra! Ele vai ter umas férias deveras diferentes, visto que vai estar atrás das grades… Pelo menos é o que o título da história promete: Mancha Negra e as férias… De xadrez! Será mesmo? O melhor é ler para crer!

E o destaque final tinha que ir para uma das personagens mais amadas da Disney… O nosso Donald decide apostar em grande nas suas férias e vai até ao espaço!!! Fazes-lhe companhia? Então prepara-te para Donald e as férias espaciais!!!

Com tanta BD boa, o difícil vai ser arranjares tempo para dares um mergulho!
Estas e muitas, muitas outras histórias fresquinhas na tua Especial Verão!

Com a Especial Verão, as tuas férias vão ser perfeitas!





ÍNDICE

5 Tio Patinhas de férias com 80 euros
101 Mickey e Horácio e as férias mugidoras
137 Donald e as férias isoladas
152 Tio Patinhas e a ilha fantasma
183 Mancha Negra e as férias… De xadrez
213 Donald e as férias espaciais
279 Peninha e as férias do Billy
292 Patos na praia – O equívoco
293 Donald e o grande feriado

































Boas leituras



Deixa o teu comentário

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Lançamento Devir: All You Need is Kill Vol.2



Por motivos profissionais estive ausente três semanas, e desde já fica o meu obrigado ao Hugo e ao Paulo por terem feito alguns posts durante a minha ausência.
E claro... ficaram algumas coisas por divulgar!

Começamos por este Manga que termina já neste segundo volume: All You Need is Kill Vol.2.
Saiu no passado dia 5, passados 20 dias do anterior livro e desde já posso dizer dizer que adorei esse primeiro volume.
:)

Fiquem com a informação da Devir:

All You Need Is Kill Vol.2

A Terra é invadida pelos Mimics, uma raça alienígena de monstros quase indestrutíveis que se lançam numa guerra de extermínio.
Keiji Kiriya é apenas um entre inúmeros recrutas inexperientes a ser metido numa armadura mecanizada e atirado para o meio da carnificina, onde é abordado por Rita Vrataski, a famosa «Pantera Blindada».
Os dois jovens unem forças para descobrir como funcionam os círculos temporais e quebrá-los de vez. Mas o poder dos «mimics servidores» encerra um terrível segredo...
Será que Keiji e Rita conseguirão romper o círculo vicioso da batalha interminável? Será que existe uma esperança para a Humanidade?

Novela original de Hiroshi Sakurazaka,
Storyboard de Ryosuke Takeuchi,
Personagens de Yoshitoshi Abe
Desenho de Takeshi Obata, o criador de Death Note

216 páginas a preto
FORMATO: 126x190 mm
ISBN: 978-989-559-262-3
EAN: 9789895592616
PREÇO: €9,99 PVR
Edições Devir

All You Need Is Kill 1 e 2 são os primeiros títulos da categoria de Manga Seinen que a Devir editou. Parabéns!




Podem clicar no link em baixo para ler, e ver, informação  sobre o 1º volume:
Lançamento Devir: All you Need is Kill

Boas leituras


Deixa o teu comentário

domingo, 28 de junho de 2015

Cantinho do Artista: Marc Silvestri



Voltamos ao Cantinho do Artista, para recordar um pouco o trabalho de Marc Silvestri, que conheceu a fama a desenhar os mutantes da Marvel, antes de fazer parte da fundação da Image Comics e ser a principal figura da Top Cow.

Marc Silvestri nasceu a 29 de Março na Flórida, conhecendo o mundo da banda desenhada através do seu primo que era fã e coleccionador. Ganhando gosto pelo desenho, começou a sua carreira na DC Comics e na First Comics, antes de ingressar na Marvel no final dos anos 80.

Começou a ficar conhecido quando desenhou os X-Men, tendo passado também dois anos como responsável pela arte da revista do Wolverine. Em 1992 fez parte dos sete artistas que revolucionaram o mercado dos comics criando uma editora para rivalizar com as grandes duas.a Image Comics, que tinha diversos selos associados a ela, sendo o de Silvestri a Top Cow.




Cyberforce, Codiname Strike Force, Darkness, e Witchblade tornaram-se alguns dos títulos mais bem sucedidos da companhia, todos com a colaboração de Silvestri de uma forma ou de outra.

Voltou a desenhar os X-Men em 2004 e 2007, sempre com muito boa aceitação por parte dos fãs que foram sempre muito fiéis ao seu trabalho. Conhecido por criar poses sugestivas e de um traço muito particular, Silvestri hoje em dia trata apenas de assuntos relacionados com a Top Cow, deixando a arte em segundo plano.

Para ver as imagens noutro tamanho, clicar nelas.












Deixa o teu comentário

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Os 4 Ases


Hoje recordo uma BD que pode ter passado despercebido a muitos, os livros dos 4 Ases, mais um produto Franco Belga que tinha humor e aventura à mistura, numa toada mais juvenil mas nem por isso menos interessante.

Georges Chaulet tratava do argumento, enquanto que os desenhos ficavam ao encargo de François Craenhals, que tinha um traço simples mas que conferia uma forte identidade às aventuras de um grupo de 4 jovens.

Lastic é o chefe do grupo, um jovem empreendedor e sempre com muita energia, Doc, o "cérebro", um caixa de óculos que preferia ficar a ler os seus livros, mas que não desperdiçava a chance de resolver um bom mistério. Do grupo faziam ainda parte Bouffi, o "gordo" que adorava comer mas era sempre muito voluntarioso e pronto a ajudar, enquanto que Dina era o elemento feminino: eis os 4 Ases, sempre acompanhados pelo seu cão Óscar.

Existiam ainda 2 polícias incompetentes que não gostavam nada quando o grupo se intrometia e resolvia os seus problemas, um tinha um cargo de destaque, e era aquela típica pessoa que não sabia do que falava mas agia como se soubesse. O outro, um lambe botas que fazia tudo para que o seu chefe ficasse bem, alinhando em todas as loucuras.



Eram aventuras divertidas, com muito humor, aventura e algum mistério à mistura. Os 4 Ases (Les 4 As) foram mais um produto da escola Franco-Belga, direccionada para um público infanto-juvenil mas com algumas piadas que podem ser apreciadas por qualquer um seja qual for a idade que tenha.

Em Portugal foram editados pela Difusão Verbo, em livros de capa dura com alguma qualidade sendo lançados cerca de 20 Álbuns, com o primeiro a ser publicado em 1980.

A Taça de Ouro é um dos meus preferidos, envolve um espião famoso que é apanhado sem querer numas filmagens do grupo que estava a participar num concurso de filmes amadores. O livro mostra as tentativas frustradas desse espião a tentar recuperar o filme, assim como as filmagens disparatadas do grupo para esse concurso.

Também gosto muito do Picasso Roubado e do Navio Fantasma, 2 dos livros com mais aventura do grupo e, claro, sempre com muito humor. Apesar de não ser muito conhecido por todos, recomendo a leitura de algum destes livros, aposto que se irão divertir.




























Deixa o teu comentário

terça-feira, 23 de junho de 2015

Recordações geeks: Super Heróis da Gulliver e da Disvenda


Enquanto o Nuno não vem, vou aproveitando e continuar a levar-vos em viagens que vos desperta as memórias e recordações de outros tempos. Hoje vou relembrar os bonecos de PVC que fizeram a delícia de muitos em Portugal e no Brasil.

Na década de 70 e 80, era raro o merchandising relacionado com os nossos queridos super-herói, para além dos livros só tínhamos a ocasional (rara em Portugal) colecção de cromos ou calendários. Mas no final da década de 70 apareceu por cá uma série de bonecos da Marvel (e alguns da DC), distribuídos pela Disvenda, a mítica marca de muitas das nossas cadernetas de cromos.

Ainda tive um Homem-Aranha como aquele que aparece no meio da foto, para além de um Hulk, e gostava bastante deles, apesar do seu aspecto tosco era algo relacionado com os super heróis que eu amava e isso era o suficiente para até brincar um pouco com eles, isto apesar de eles serem figuras estáticas em cima de uma prancha.


O único que ficava bem era o Surfista Prateado, já que era o único que tinha realmente uma prancha. Eram uns quantos bonecos, muitos eram os mesmos moldes pintados de forma diferente, ou seja um Homem Aranha podia virar um Homem de Ferro, percebia-se isso por estarem na mesma pose.

No Brasil existia basicamente a mesma colecção, distribuídos pela Gulliver, que fizeram um enorme sucesso. Pareciam estar mais bem pintados do que os que saíam por cá, mas os moldes eram os mesmos, percebi mais tarde que saíram lá alguns que eram iguais aos que saíram por cá mas no nosso país mudaram a personagem.

Lá saíram também uns sacos com bonecos só de uma cor, os chamados monocromáticos, que não me recordo de ver por cá mas possivelmente também saiu. Tanto os bonecos da Gulliver como os da Disvenda atingem agora verdadeiras fortunas em leilões da internet, mesmo com aspecto tosco.

Quem teve destes bonecos? Quem gostou?







Deixa o teu comentário