quinta-feira, 25 de março de 2010

Bórgia Volume 2: O Poder e o Incesto


Depois de Bórgia Vol.1: Sangue para o Papa a saga da família Bórgia continua! Agora com Rodrigo Bórgia investido como Papa Alexandre VI e os seus filhos prontos para entrarem no jogo do poder, este tenta solidificar o seu lugar cimeiro na Igreja Católica usando o nepotismo como uma das suas grandes armas. César e Lucrécia são grandes intervenientes históricos no corredor do poder em Roma. Maquiavel inspirou-se em César Bórgia para o seu livro “O Príncipe”, inspirado nas inúmeras intrigas e artimanhas para manter o poder, Lucrécia por seu turno serve-se da sua beleza e promiscuidade para fazer e desfazer alianças ao serviço do seu pai.
A beleza da arte de Milo Manara nunca me deixará indiferente. Continua um mestre na arte de representar o corpo humano em toda a sua sensualidade, e quando encontra alguém que faça uma boa estória temos uma grande obra! É isso que está acontecer com Bórgia escrito pelo chileno Jodorowsky, e que já tinha acontecido com Hugo Pratt em Verão Índio e El Gaucho.
Jodorowsky assenta a sua estória numa época renascentista em que a Igreja Católica passava por uma das suas fases mais decadentes e promíscuas! Os Bórgia não queriam apenas manter o poder em Roma, mas também atacavam e pilhavam as cidades estado vizinhas. Rodrigo Bórgia prestava-se às maiores barbaridades e ignomínias para fazer do papado um reinado, preparando-se para deixar um herdeiro, César Bórgia, no trono do Vaticano. Assim toda a família trabalhava afincadamente na sombra para esse desígnio. É uma parte bem negra da história de Roma, mas que faz um excelente livro de BD, com grandes ingredientes: traição, incesto, luxúria, violência selvagem… enfim, tudo o que é intrinsecamente mau!
Agora espera-se que a ASA publique o terceiro volume desta série, visto que o problema que houve entre os autores ficou sanado e a série terá continuidade assegurada!
Quanto à edição, esta continua a ser muito boa mas um pouco diferente do primeiro volume. Não tem capa protectora (e ainda bem), mas em contrapartida gostei mais do papel do volume nº1. Pormenores que não afectam em muito a edição, na realidade eu disse que “ainda bem" que não tem a capa protectora (reparam como eu me borrifo para o nojo do acordo politico-ortográfico?) porque esta era de um negro muito lustroso e acaba por ficar feia de tanta dedada nas livrarias!
Aconselho esta série.

Outros posts com obras de Milo Manara:
Bórgia Vol.1: Sangue para o Papa
Verão Índio
El Gaucho
Giuseppe Bergman

Outros posts com obras de Jodorowsky:
O Incal
Castaka
Armas do Metabarão
Incal Final Vol.1: Os Quatro John Difool

Visto que já existem publicações que fazem questão de em baixo dizerem com orgulho que os seus escritos estão de acordo com o acordo ortográfico, como por exemplo os jornais desportivos (esta é para rir desbragadamente…), vou fazer o mesmo no meu blog (e também com muito orgulho) mas ao contrário! Isto não é nada contra brasileiros, é apenas a minha opinião que não contou para nada…
Boas leituras

Aviso
: Este blog não segue o acordo ortográfico!

Hardcover
Criado por: Alexandro Jodorowsky e Milo Manara
Editado em 2010 pela ASA
Nota média da série: 9 em 10
Deixa o teu comentário

Enviar um comentário