quinta-feira, 22 de julho de 2010

As Cidades Obscuras Vol.11: A Teoria do Grão de Areia, Tomo 2


Passado um ano eis que surge o volume 2 da Teoria do Grão de Areia, volume nº 11 da série “As Cidades Obscuras”. Saiu no princípio deste mês a conclusão do volume anterior, e tudo aquilo que ficou por deslindar em mais uma estória fantástica da dupla Benoît Peeters e François Schuiten tem o seu final aqui.
Cada vez que leio um livro desta série fico sempre espantado com a inventividade destes autores, tanto ao nível da trama como na arte. Esta então é impressionante tanto nos planos citadinos como no resto do “mundo obscuro”. Não interessa se é a cores, a preto e branco ou como neste caso em bicromia a preto e branco areia; os cenário, as construções de página com a narrativa a fluir imparavelmente tornam estes livros imperdíveis. O formato continua o mesmo, formato italiano dentro de uma caixa com lombada para se poder colocar junto aos outros livros da série sem confusões. Este tipo de formato, A4 deitado, favorece os grandes planos numa só página, não necessitando de páginas duplas para o mesmo efeito, que são características do formato normal. Para saber o que está para trás deste livro podem consultar este link:
As Cidades Obscuras Vol.10: A Teoria do Grão de Areia, Tomo 1
A estória tem poucos protagonistas, talvez quatro ou cinco, sendo que os dois principais “viajaram” das páginas de “A Menina Inclinada” (Mary von Rathen) e de “Brusel” (o florista Constant Abeels). Os problemas originários do primeiro volume são apocalipticamente aumentados neste volume, pondo o responsável pela cidade à beira de um ataque de nervos… o edifício de Abeels cai estrondosamente com o peso das pedras, o cozinheiro por e simplesmente perde a atracção da gravidade, flutuando pela cidade preso por uma corda, a areia cai em cascata pelas janelas do apartamento onde teve origem, inundando a cidade de areia e para além disso novos fenómenos iniciam o seu surgimento. Mary consegue “ver” os fenómenos mas tem dificuldades em perceber a causa e para aumentar a confusão aparecem mais dois “Bugtis” que procuram o primeiro (morto por atropelamento no anterior volume) e a relíquia que este tinha ao peito. Assentam na casa de Autrique que também é alvo de estranhos fenómenos… O fim é surpreendente, não posso contar mais nada para além disto, mas que me conseguiu surpreender, conseguiu!
Esta obra retrata num mundo paralelo e obscuro alguns problemas do “nosso mundo”, a guerra entre Bugtis e Moktars favorecida por armas provenientes de Brusel, e o impacto que estas têm resto do mundo obscuro. Pode-se transportar isto perfeitamente para o “mundo ocidental”, com as guerras no Médio Oriente.
De notar a homenagem que os autores fazem a uma casa, que existe na realidade em Bruxelas, a casa de Autrique que teve como autor Victor Horta. Ela é detalhadamente descrita neste livro, para além de ser um dos fulcros d´”A Teoria do Grão de Areia”. Esta casa é património Belga e está aberta ao público, considerada como um dos emblemas da “art nouveau” na arquitectura.
Como nota final, e neste momento só para quem sabe francês, alguns álbuns desta série como “A Torre” e a “A Sombra de um Homem” foram refeitos tendo inclusive finais diferentes. Neste momento é a “A menina Inclinada” que está a ser sujeita ao mesmo tratamento.
Agora só posso aconselhar que se deleitem com este livro, e não leiam só uma vez, cada vez que se lê descobrem-se mais pormenores deliciosos. Aconselho também a releitura do primeiro tomo, e só depois a leitura deste. Já agora, e para quem tiver essa possibilidade, a leitura de “Brusel” e da “Menina Inclinada”, pode-se ler perfeitamente esta última obra sem conhecer as outras, mas dá outra ambiência saber de onde surgem os dois protagonistas principais, e para além disso são dois livros de nota máxima!
Houve alguns leitores que fizeram sentir a sua dificuldade para encontrar este livro à venda, para resolver isso podem sempre fazer encomenda numa loja da especialidade (Central Comics , Kingpin , Asa Negra , etc.), ou então na loja on-line da Leya: Media Books.
Boas leituras!

Slipcased Softcover
Criado por: Benoît Peeters e François Schuiten
Editado em 2010 pela ASA
Nota : 11 em 10
_________________________________________________________________

Cities of the Fantastic

After one year here comes the second volume of The Theory of Grain Sand Grain, volume 11 of the series "The Fantastic Cities”. The book run out this month and conclude the previous volume, and all that remained to be unraveled in a most fantastic story of Benoît Peeters and François Schuiten has its end here.
Every time I read a book of this series I am always amazed at the imagination of these authors, both in plot and in art. The art is impressive in both plans: the cities and the rest of the "obscure world". It does not matter if it's in color, black and white or in bichromie black and sandy white. The scenery, the construction of the page with the narrative flowing nonstop make these books a must have. The format remains the same, Italian format in a slipcase in order to put it together with the other books in the series without shelf differences. This type of format, landscape A4, favors big plans on one page, with no need of splash pages, which are characteristic of the normal layout, for the same purpose. To know what lies behind this book you can check this link:
As Cidades Obscuras Vol.10: A Teoria do Grão de Areia, Tomo 1 (not translated)
The story has few characters, maybe six or seven, and the two main players of the story "traveled" from the pages of "The Girl Leaning" (Mary Von Rathen) and "Brusel” (the florist Constant Abeels). The problems with origin in the first volume in this new book are apocalyptically increased, responsible for putting the city on the verge of a nervous breakdown... the Abeels building falls crashing under the weight of the stones, the cook simply lose the attraction of gravity and is floating on the City tied by a rope, sand cascading through the windows of the apartment where the phenomenon had is origin (flooding the city of sand) and furthermore new phenomena emerge. Mary can 'see' phenomena but has difficulty in understanding the cause, and to increase the confusion, two more “Bugti” seeking the first (killed by accident in the previous volume) and the relic that he had in the chest. This two strangers look for the Autrique House, but this place is also the subject of strange phenomena ... The ending is amazing, I cannot tell anything beyond this, but the end surprise me! A lot!
This work portrays a parallel world and some obscure problems of "our world", the war between the Bugti and the Moktars was supported by weapons from Brusel, and the impact they have in the “obscure world”. You can carry it perfectly to our "western world", with the wars in the Middle East and the respective repercussions.
Please note the homage that the authors make to a house that actually exist in Brussels, Autrique House, which was constructed by Victor Horta. She is described in detail in this book, besides being one of center of "The Theory of Grain of Sand" story. This heritage house is Belgian and is open to the public, considered one of the emblems of “Art Nouveau” architecture.
As a final note, and this time only for those who know French, some albums in this series as "The Tower" and "Shadow of a Man" has been redone including different endings. At the moment is "The Leaning Girl" that is under the same treatment.
Now I can only advise you to enjoy yourselves with this book and do not read it only once, each time you read you discover more delicious details. I advise also to read again the first volume, and only then reading this one. For those who have this possibility, the reading of "Brusel" and "The Leaning Girl” it´s advised. You can be read perfectly this last work without knowing those other two books, but gives another ambience knowing where the two main protagonists emerge, and moreover they are two excellent books!
Good reading!

Slipcased Softcover
Created by: Benoît Peeters and François Schuiten
Published in 2010 by ASA
Note: 11 of 10
Deixa o teu comentário

Enviar um comentário