quinta-feira, 31 de março de 2011

Tekkon Kinkreet 鉄コン筋クリート: Black & White


Tekkon Kinkreet é um Manga que irá sempre estar ao lado de Blankets nas minhas prateleiras, não porque o enredo seja parecido, mas pela qualidade dos textos e a forma com que envolvem emocionalmente o leitor. É uma estória linda, pungente sobre a amizade de dois órfãos numa cidade ficcional japonesa: Treasure Town.


 O autor é o japonês Taiyō Matsumoto ( 松本大洋 ) que com esta obra teve direito a um filme em Anime que ganhou o prestigiado prémio para o melhor filme em 2006 nos “Mainichi Film Awards”.

Para quem me conhece sabe que este género de arte alternativa dificilmente entra comigo, mas reconheço que a arte tem tudo a ver com a estória. Para além disso acho que dentro do alternativo, é muito boa! É mais um livro que eu considero “para sempre” e tenho a certeza de que quanto mais vezes o ler melhor o vou achar, recomendo vivamente!

Esta versão compacta os três volumes num só livro com mais de 600 páginas, sendo que o formato é bastante maior que a generalidade dos livros Manga. Apesar de capa mole possui uma “dust- cover”, com uma excelente imagem no seu interior! A versão original remonta 1998 a 2000 pela Nova Productions.

O envolvimento emocional do leitor é grande a partir de determinada altura, e aprendemos a amar White e a desculpar Black! Estes são os dois protagonistas que em conjunto se apelidam como “Cats”, sendo normal serem substituídos em determinadas alturas por um gato preto e um gato branco.

Black possui uma alma negra apenas acalmada por White, uma alma boa e limpa, embora demonstrando falhas ao nível do crescimento mental. Assim Black protege White com fervor e violência!
Treasure Town é o seu parque de diversões, em que eles saltam de telhado para telhado, não tendo medo de nada e sendo temidos por muita gente, pois sendo crianças não controlam a violência dos seus actos… actos estes na maior parte das vezes virados contra outros bandidos e demais marginais. É claro que a loucura por relógios de White, e a necessidade de dinheiro, os leva por vezes a cometer crimes, sendo bem conhecidos da polícia desta cidade.

Odeiam os bandidos Yakuza que teimam em tomar conta da sua cidade! Sim porque a cidade É DELES!
O descalabro dá-se quando White é ferido muito seriamente e a polícia resolve tomar conta dele, com o acordo de Black! Este sabe que apesar da vida de extrema violência que eles levam, White é uma alma inocente.

Black sozinho sem o freio de White torna-se extremamente violento, quase à beira da loucura, vindo a negridão da sua alma à tona… luta sozinho contra o bando que quer transformar a sua cidade, mas mais importante: tem de lutar contra os seus enormes demónios interiores!

Mas eles não conseguem viver um sem o outro, até White começa a ficar louco sem a presença de Black…
No fim… bem no fim conseguem atingir o seu sonho! Como? Leiam o livro!
Estes livro tem mais uma série de estórias paralelas, em que tudo se vai encadeando ao longo das mais de 600 páginas, fazendo com o que o leitor não queira largar o livro.
O autor consegue tornar muito natural a extrema violência do livro, e delineia com mestria o perfil psicológico dos intervenientes, tanto dos principais como dos secundários!


É um livro único!
E vou dizer outra vez… RECOMENDO!
Quando falei em que ele está ao lado de Blankets, não foi por causa do enredo… não tem nada a ver! Agora as emoções envolvidas são grandes como no livro atrás referido, Matsumoto foi grande!
Não esquecer que este é um livro do género Manga Seinen, logo para adultos. Não há olhos grandes e aquelas bocas que identificam claramente os géneros Shoujo (para raparigas adolescentes) e Shounen (para jovens rapazes), que são a maioria das séries conhecidas!
Este vai ser o primeiro livro do género Manga, que eu li, a levar nota igual ou superior a 10!

TPB
Criado por: Taiyō Matsumoto 松本大洋
Editado em 2007 pela Viz Media
Nota : 11 em 10
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 30 de março de 2011

Lançamento ASA: L Princepico (O Principezinho)


Na lógica da edição de alguns livros em Mirandês, a ASA vai publicar o super editado e premiado livro "O Principezinho" nesta língua, a "segunda" Língua oficial portuguesa.
O Mirandês é falado na zona de Miranda do Douro por cerca de 15 mil portugueses, e assim a seguir ao Asterix em Mirandês, chegou a vez deste extraordinário conto de Antoine de Saint-Exupéry!
Fica o press release da ASA:
Na lógica de l'eidiçon d'alguns libros an Mirandés, la ASA bai publicar l super eiditado i premiado libro "L Princepico" nesta léngua, la "segunda" Léngua oufecial pertuesa.
L Mirandés ye falado na zona de Miranda de l Douro por cerca de 15 mil pertueses, i assi a seguir al Asterix an Mirandés, chegou la beç deste straordinairo cunto de Antoine de Saint-Supéry!
Queda l press release de la ASA:

ASA LANÇA O PRINCIPEZINHO EM MIRANDÊS

L PRINCEPICO é o título do clássico O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry, que a ASA vai lançar em língua mirandesa. O livro estará disponível no início da próxima semana e terá apresentação pública no dia 15 de Abril, no Instituto Franco-Português, em Lisboa.

A ASA vai publicar no dia 4 de Abril o clássico O Principezinho em língua mirandesa. Com o título L Princepico, a conhecida obra de Antoine de Saint-Exupéry foi traduzida para mirandês por Ana Afonso e Domingos Raposo, dois conceituados estudiosos da Língua Mirandesa.

Tendo a ASA sido pioneira nas publicações em Mirandês de grandes personagens da cultura franco-belga, aceitou mais este desafio e, em colaboração com o Instituto Franco-Português, apresenta agora esta edição.

Sobejamente conhecida em todo o mundo, a história é conduzida por um narrador, um piloto que tenta desesperadamente reparar os danos causados no seu avião avariado em pleno deserto do Sahara. Um belo dia os seus esforços são interrompidos com a aparição de um pequeno príncipe, que lhe pede que desenhe uma ovelha. O piloto não se atreveu a desobedecer e, por muito absurdo que pareça, pegou num pedaço de papel e numa caneta e fez o que o principezinho tinha pedido. E assim tem início um diálogo que expande a imaginação do narrador…

Com a sua história assente numa mensagem de amor, amizade e fraternidade entre os homens, o livro O Principezinho foi escrito em 1943 e até hoje foi traduzido em mais de 200 línguas, incluindo dialectos europeus, africanos e asiáticos, sendo hoje o livro mais traduzido depois da Bíblia.


Evento de lançamento

O lançamento oficial de L Princepico realiza-se no próximo dia 15 de Abril, às 19h, no Instituto Franco-Português, em Lisboa (Av. Luís Bívar, 91). O livro será apresentado por Domingos Raposo, tradutor desta obra para mirandês. Na mesma ocasião será apresentada uma exposição de livros e objectos associados ao universo de O Principezinho pertencentes ao actor e apresentador Pedro Granger, coleccionador e fã deste clássico da literatura francesa.


Sobre o autor

Antoine de Saint-Exupéry nasceu em França em 1900. Faz o serviço militar em Estrasburgo, onde obtém um brevet de aviação. O seu primeiro conto, L'Aviateur é publicado em 1926. Dois anos depois escreve Courrier Sud, depois adaptado ao cinema (dobrou ele próprio o actor principal nas cenas de voo). Em 1931 publica o romance Vol de Nuit (Voo Nocturno), ao qual é atribuído o prémio Femina. Nesse mesmo ano casa-se com Consuelo Saucin. É repórter na Guerra Civil Espanhola em 1937, e mobilizado como capitão em 1939, ano em que esboça O Principezinho e publica Terra dos Homens. Desmobilizado no ano seguinte, passa um mês em Lisboa, de onde parte para Nova Iorque. Em 1942 sai Piloto de Guerra, que rapidamente se torna um best-seller. Em 1943 escreve e publica Lettre à un Otage e Le Petit Prince (O Principezinho). É promovido a comandante mas restringem-lhe os voos devido à idade. Em 1944, com a 2.ª Guerra Mundial quase a terminar, é dado como desaparecido no dia 31 de Julho. Depois de ter descolado nessa manhã, desapareceu numa derradeira missão sem regresso. Não se sabe ao certo o local da queda do avião que pilotava.


Ficha do Livro

Título: L Princepico (livro em língua mirandesa)
Autor: Antoine de Saint-Exupéry
Tradução: Ana Afonso e Domingos Raposo
Editora: ASA
Data de chegada às livrarias: 4 de Abril
Evento de lançamento: 15 de Abril, no Instituto Franco-Português, em Lisboa.
PVP 9,95€

Já agora, aconselho a toda a gente, sem excepção, a leitura deste livro. É imprescindível culturalmente!
De notar que existe uma versão em Banda Desenhada deste livro da autoria de Joann Sfar.
Yá agora, acunselho a to la giente, sin scepçon, la leitura deste libro. Ye amprescindible culturalmente!
De notar qu'eisiste ua berson an Banda Zenhada deste libro de l'outoria de Joann Sfar.

Boas leituras
Buonas leituras
Deixa o teu comentário

terça-feira, 29 de março de 2011

Hemingway: A Morte de um Leopardo


Jean Dufaux faz aqui mais uma incursão na vida de um escritor famoso, desta vez Hemingway. Na sua prolífica lista de obras e séries, Dufaux escreveu obras para BD contando episódios da vida de escritores como Hemingway, Sade, Balzac, Hammet e Pasolini. Destes todos, Sade já foi referido neste blog no post Sade: A Águia, Mademoiselle.... Nesta série de “one-shots”, Dufaux pega em situações reais e mistura-as com ficção, tornando a leitura muito pouco aborrecida, como seria se caso ele se limitasse a fazer uma biografia de cada um dos “alvos” destes livros.
Dufaux é também autor de vários livros e séries de sucesso, algumas bem conhecidas pelos leitores de BD portugueses, como Jessica Blandy, Croisade, Djinn (Booktree), Murena (ASA), Niklos Koda (Booktree) e Rapaces (Meribérica e ASA).
O artista de serviço é Marc Malès, pouco conhecido do público português, mas sem dúvida um extraordinário artista! Aliás, o aspecto do livro que me levou à compra foi precisamente a arte de Malès!
A obra de Hemingway que dá o mote para este livro é "The Short Happy Life of Francis Macomber". A acção passa-se em 1959, na ilha de Cuba, e em que Havana sofria ainda as convulsões da revolução levada a cabo por Fidel de Castro; e 1934 algures nas profundezas de África.
Os vários “flash-backs” estão muito bem encadeados, entre o tempo real e o passado em África, tornado a leitura bastante interessante!
A estória fala-nos de aventura, amor, remorso e vingança; tudo isto salpicado com belas mulheres, caça grossa e magia negra africana.
Hemingway está em Havana, na sua propriedade Finca Vigia, preparando-se para um encontro com uma bela jovem… interrogando-se do porquê do interesse deste bela e poderosa jovem num velho como ele! Mas como por acaso as suas memórias voam até à sua primeira viagem a África, onde é espectador, mas interveniente também, de uma trágica estória durante uma caçada. O final joga-se em Havana 25 anos depois!
Boa estória e uma excelente arte, são duas das qualidades deste livro editado pela Bertrand em 1995.

Boas leituras

Hardcover
Criado por: Jean Dufaux e Marc Malès
Editado em 1995 por Bertrandt
Nota: 8 em 10
Deixa o teu comentário

segunda-feira, 28 de março de 2011

Duplas Famosas: Comanche e Red Dust


Na maior parte dos casos a série tem o nome do protagonista principal, neste caso não é assim!
Comanche, a bonita dona do Rancho 666 não é a personagem principal, mas sim Red Dust, o cowboy que passou de responsável no terreno deste rancho a Sheriff da cidade vizinha.
Fizeram uma bela dupla com aventuras excelentes pela mão de Greg e Hermann!
Red Dust o pistoleiro, Comanche a nervosa e persistente rancheira!
Esta é sem dúvida a minha série de banda desenhada preferida situada no oeste Norte-Americano.
Se quiserem saber mais sobre esta série cliquem no seguinte link:

Comanche










Boas Leituras
Deixa o teu comentário

domingo, 27 de março de 2011

Lançamento ASA: Dragon Ball Vol.7 - A Perseguição


A ASA continua a publicação do Shounen Manga Dragon Ball a bom ritmo e editou no passado dia 23 o sétimo livro da série: A perseguição
Irá ter um custo de 9,60 EUR
Fica um pequeno texto fornecido pela ASA:

DRAGON BALL 7 – A PERSEGUIÇÃO

As Bolas de Dragão estão nas mãos da Red Ribbon e Goku e os seus amigos vão lutar contra estes implacáveis inimigos para as conseguirem recuperar. Para ficar mais forte e mais poderoso, Goku vai tentar subir ao topo da torre Karin que é protegida por elementos de uma tribo de índios, e onde vive Karin, um gato eremita com mais de 800 anos. Quem conseguir subir e atingir o topo, tem o direito a beber a água divina (a verdadeira fonte do poder), mas para isso tem de a conseguir tirar a Karin…

Boas Leituras!
Deixa o teu comentário

quinta-feira, 24 de março de 2011

A Banda Desenhada e a Crise


Desculpem, mas este post vai ser um pouco longo… de vez em quando dá-me para isto!
Estamos em época de crise, é verdade… mas relativamente à BD traduzida para português a crise já vem de há mais tempo.
Culpados? Bom, podem-se apontar bastantes. Aqueles mais facilmente apontados como principais culpados pela crise da BD são sempre os mesmos: o público comprador!
Mas será que são os únicos culpados? Bem, eu acho que não!
Posso apontar editoras, lojas da especialidade, lojas genéricas, distribuidores…
Espero que neste artigo não me digam, devido às minhas boas relações com ASA, que estou a defender a camisola! A minha camisola é a da BD, seja editada pela ASA, Vitamina BD/BD Mania, Kingpin, Polvo, Booksmile, Booktree, Gradiva entre outras. Agora que eu penso que a ASA é a única que na realidade tenta empurrar esta arte para a frente, é verdade! Com a sua experiência, e contactos no estrangeiro, talvez tenham mais facilidade!
Não falando das editoras mais pequenas, ou que editam pouca BD por ano, não lhes posso exigir mais do que já fazem. Mas destas já falaremos. A Polvo está direccionada para outro tipo de edições, ou seja, autores portugueses, por isso estará noutro capítulo deste artigo também.
Agora, e embora goste bastante do Pedro Silva (editor Vitamina BD/BD Mania), onde estão as suas edições? A sua política editorial trouxe grandes obras da melhor BD que neste momento se faz na Europa e nos EUA, mas desde há dois anos que a produção editorial destas duas editoras se vai perdendo no tempo! O ano passado então foi desastroso em número de publicações… A política de editar apenas o volume seguinte quando o anterior já se pagou é muito perigosa, sobretudo para uma editora que aposta sobretudo (se não totalmente) em co-edições! Existe sempre uma janela para a edição do livro seguinte, quando se perde esta janela é complicado, comercialmente, editar o seguinte, sobretudo quando a parceria para a co-edição já editou. A juntar a isto, há muita gente que só compra séries quando vê que existe uma vontade inequívoca da editora em completá-las. Assim temos excelentes séries paradas no tempo apenas com o último volume para editar… ex: Universal War One e Korrigans! Ainda juntando a isto, a distribuição destas editoras deixa muito a desejar, e para cúmulo na própria loja já aconteceu não terem o livro desejado pelo comprador! Isto quando o único sítio certo para comprar os livros desta editora era na sua própria loja! A distribuição é difícil? Sim! Os distribuidores são autênticos vampiros exploradores do trabalho dos outros? Sim! As livrarias levam couro e cabelo para terem os livros que são novidade em primeiro plano? Sim? As livrarias tratam mal a BD? SIM! Então o que estamos à espera para um ter um site de vendas em condições? Para assim poderem vender para todo país sem sair da nossa própria livraria? Então porque não fornecemos press releases do que vai sair, a todos os agentes que os podem publicitar na internet? Sim, porque é publicidade de borla! E não se percebe o porquê de manter um site que não é amigo do utilizador! Antes pelo contrário… Vamos lá a publicitar minimamente em condições os nossos livros! Eu sei que não há dinheiro para a televisão e outros mass-media, mas existe bastante gente que não se importa de o fazer de borla!
A Gradiva tem uma política no mínimo estranha em relação à BD… Tem séries de tiras cómicas de qualidade, como Calvin & Hobbes, em que editou vários livros, mas em que não interessa muito a continuidade, e de resto (desculpem-me) só faz asneira! Quer dizer… A série Largo Winch foi maltratada por várias editoras, mas a edição mais estranha pertenceu mesmo à Gradiva em que edita o Vol.6 da série e de seguida “espeta-lhe” com o Vol.15… depois temos a “História do Universo em Banda Desenhada – Vol. I “ com três volumes editados no estrangeiro, mas aqui apenas um… continuamos? Não. Editamos outro livro do mesmo autor: “História da Humanidade em Banda Desenhada -Da Alvorada da China à Queda do Império Romano Vol.1”! Confiança = 0 … já para não falar no boato de que não irão editar o Vol. 3 do Eternus 9 (mas para mim é ainda apenas boato…).
A Booktree editou uma catadupa de títulos há anos, mas apenas os nº1, é provavelmente a maior colecção de nº1 do mercado (visto percentualmente) em relação ao número de séries editadas.
Para mim foi um grande falhanço de organização, visto ter saído quase tudo ao mesmo tempo, embora nesses títulos houvesse séries de grande qualidade! Neste caso acho que houve mais “olhos que barriga” e a coisa correu mal…
Devir… parou, prometeu que arrancava com inúmeros bons títulos e depois desapareceu… arrancou novamente com a edição de dois ou três livros, mas parou outra vez…
Agora eu pergunto… onde está a confiança do comprador? Sim, para haver confiança neste momento as editoras têm de investir agora, para colher depois! E têm de ter capacidade financeira para, pelo menos, editar dois livros, mesmo que o primeiro não tenho sido o “hit” pretendido!
A Booksmile entrou com força o ano passado, com grandes tiragens de uma série de culto (Scott Pilgrim) editando simultaneamente os dois primeiros números. O terceiro foi editado há pouco tempo! Vamos a ver! Pelo menos publicidade, e exposição em quantidade, nas livrarias, tem tido…
Assírio & Alvim e Bizâncio continuam o seu bom papel numa cota de mercado em que têm grande peso e sucesso: Cartoon! Nada a dizer, apenas que não é o meu género favorito…
A ASA tem feito um grande esforço para editar em quantidade e qualidade. Para isso tem tido uma parceria frutuosa com o jornal “O Público” onde edita livros e séries que seriam quase impossíveis de editar neste momento sem ser desta maneira. Para além disso tem o seu próprio catálogo em que têm sido editadas novidades e algumas continuações. As continuações não têm saído com a cadência que os leitores apreciariam, e claro, por vezes sai uma continuação de uma série que não iniciamos… outras vezes reedições que não desejamos ou no formato que não queremos!
De notar a aposta em força na linha Manga, que não tem falhado nem um milímetro (excepto o malfadado Dragon Ball Vol.2) no seu planeamento.
Já agora… a ASA abriu a porta a autores portugueses… mas não percebo (ou se calhar até percebo…), porque não saiem os volumes seguintes!?
Nestes últimos dois anos tenho de dar os parabéns à ASA!
A Kingpin também está de parabéns por outras razões. O seu catálogo de produtos estrangeiros está a dar os primeiros passos, mas ao nível nacional têm editado com muita qualidade! A “Fórmula da Felicidade” foi do melhor que se fez, ao nível nacional, nos últimos anos. Este editora possui uma série de autores, que se pode dizer perfeitamente, de qualidade e que têm uma faceta pouco comum em relação à normalidade: trabalham! Esperam-se, este ano, mais novidades da Kingpin! Venham elas!
A Polvo segue o seu caminho, devagar, apostando claramente em autores portugueses menos conhecidos, e num estilo mais alternativo (sem ser aquele alternativo que mete medo ao leitor comum…), mas para a dimensão desta editora acho que não se pode pedir mais. Para além disso têm publicado livros muito interessantes como foi o caso do livro do Paulo Monteiro “O Amor Infinito que te Tenho" e o livro “Hans, o cavalo inteligente” de Miguel Rocha.
A Pedranocharco praticamente já não edita… O BD Jornal só sai em eventos grandes de BD, quanto ao resto dos títulos de Banda Desenhada andam quase a zero…
Falando das editoras em geral, existem três tipos relativamente à divulgação na internet:
Ou mandam tudo o que sai sem que ninguém lhes esteja sempre a pedir: caso da ASA
Ou mandam aquilo que se lhes pede (o que não é mau de todo…): casos da Kingpin e Booksmile.
Ou pura e simplesmente não mandam ou têm alguma resistência a mandar por falta de tempo: Vitamina BD/BD Mania.
Ou pura e simplesmente se estão a borrifar no assunto e nem respondem a uma pessoa que lhes quer fazer publicidade de borla: Caso da Gradiva e da Devir.
A Devir neste caso bate todos, porque responderam … er… tipo malcriado! Bem Hajam!
Como estão a ver até divulgação de borla é difícil! Culpa dos leitores? Não… às vezes nem sabem que saíram os livros! Espectacular!
Lojas… qual é o papel das lojas no meio disto tudo? Bem, as livrarias generalistas, fora raras e honrosas excepções, tratam a Banda Desenhada abaixo de cão (e eu gosto de cães). Dói-me o coração quando entro nestas livrarias e os livros de BD estão no canto com menos visibilidade da loja, ainda mais escondidos que os livros de ilustração infantil! Por vezes têm a criminosa mania de juntar BD com livros infantis… pois um miúdo de 5 anos puxar de um livro do Manara é espectacular! Sim, porque estava ao lado da “Pequena sereia”…
Depois temos a FNAC que deixa os bimbos conspurcarem os livros de BD, enquanto os lêem a tomar o café, e o pastel de nata dentro da referida livraria… Na FNAC é raro encontrar um livro novo à venda… nem em segunda mão… aquilo já vai na quinta ou sexta mão! Então se for um livro do Manara, irá com certeza na vigésima mão!
Livrarias generalistas: CULPADAS!
As livrarias da especialidade estão com dificuldade na sua generalidade. São as pessoas que fazem encomendas de importados e depois não aparecem para ir buscar o produto (ou seja não pagam…), são as lojas virtuais que fazem grandes descontos sobre o preço de capa e dificultam a venda de importados, são as distribuidoras que não põem os livros atempadamente nas lojas…
Quanto ao primeiro item eu acho fácil de resolver… para encomendar um importado teria sempre, o comprador, de deixar um valor de caução, ou mesmo o valor do livro. Para além disso as nossas lojas já deviam ter uma lista negra conjunta dos clientes que não pagam. Isto impediria que andassem a dar prejuízo um pouco por todo o País.
Mas as lojas queixam-se da falta de clientes… O que é que estão à espera para se unirem todas e começarem a ter animação, autores, pequenas sessões de cosplay quando sai um novo livro de manga, por ex., e isto ir circulando entre todas as lojas, mas bem organizado? As lojas dão-se mal umas com as outras? Estes tempos não se compadecem com estas guerrinhas frívolas…
Já agora (lembrei-me agora) porque é que uma loja da especialidade como é a BD Mania só vende livros das duas editoras da casa? Não vejo lá livros da ASA, Kingpin, Gradiva, Bizâncio, Polvo… etc.… Porquê? São uma livraria da especialidade ou não!?
Festivais… Adoro Beja! Pela simplicidade, pelo à vontade, pela simpatia, e descontracção, e pela organização desorganizada! Dá prazer ir a Beja!
Amadora é um festival com bastante mais responsabilidade, e em que os seus representantes vão a Angôuleme todos os anos… Porque é que não aprendem um pouco lá? A parte comercial é a mais importante neste festival francês, cá escondem as lojas, não vá algum “ganda maluco” lembrar-se de comprar um livro! Os focos de interesse de Angôuleme estão todos a uma pequena distância, onde podemos circular a pé sem nenhum problema, na Amadora eu nunca visitei nenhum pólo satélite ao festival, porque teria de ir de carro para tal, sujeito… enfim algumas zonas são pouco recomendáveis… Lamento mas é mesmo assim!
O Amadora BD está a estagnar, o público está a desaparecer (ao contrário de Beja que aumenta todos os anos, e fica longe - imaginem se não ficasse), e acho que os responsáveis do ainda maior Festival de BD feito em Portugal, devem pensar bem no que estão fazer! E não me venham com estórias de que vem muita gente durante as três semanas… Estão a contar com os putos das escolas que não vão fazer lá nada… este ano eu vi! Os miúdos vão a reboque de um professor, com pressa de se ir embora, porque não vê “um boi” daquilo, e quer é desaparecer, e os miúdos não têm tempo para ir às lojas! EXACTAMENTE AO CONTRÁRIO DE ANGÔULEME! Lá os professores param, e no fim da explicação da exposição mandam os miúdos para as lojas!
Já agora… as sessões de autógrafos andam a chatear tanto as pessoas que querem um autógrafo, como os próprios autores e editoras… Organizem-se! Se precisarem eu trato da organização dessa parte, não me custa nada!
A distribuição, bem, penso que esta parte é o cancro maior disto tudo! São caríssimos, e depois não fazem o trabalho, ou seja distribuir os livros de BD. Um distribuidor já me disse que não gosta de distribuir BD porque os livros arrumam-se mal na carrinha, para além de serem mais pesados que os outros!!!!!!! A estes eu chamo-lhe PARASITAS!!!!
Como vêm há falhas em todo o lado (e algumas delas muito graves), para a BD andar para a frente as editoras deverão falar umas com as outras, pensar se será viável edição conjunta para livros especiais, por exemplo, e as lojas têm de organizar entre si esquecendo rivalidades e inimizades antigas! A BD merece isto, assim como merece que as lojas da especialidade sobrevivam neste país…
Enfim têm de tornar o produto o mais visível possível, e com a melhor qualidade possível!
Temos de pôr os portugueses a comprar! Para isso editar, divulgar, promover, e organizar a venda!
E muita divulgação!
E quanto a divulgação da BD que por cá se faz ou edita é de louvar a postura da Bedeteca de Beja que com um elevado dinamismo consegue manter um programa mensal bastante rico em actividades, e a câmara de Moura que com um orçamento diminuto consegue novamente ter o seu Salão activo. Gostaria que outras Bedetecas com mais responsabilidade por se localizarem em centros populacionais bem maiores fizessem pelo menos metade!
Já agora e em relação à BD alternativa que por cá se faz e alguma importada não vou falar, porque já disse o que penso sobre isto num outro post: Comercial Vs. Alternativo
Desculpem o tamanho deste post… mas há muito tempo que não fazia um assim!
:D
Já agora queria deixar uma palavra de apreço pelo projecto Zona que tem feito um trabalho inestimável na BD feita em língua portuguesa, e no qual já tive o prazer de colaborar!
Parabéns!
E já agora prometo que este blog vai andar mais activo do que nunca, porque a BD merece!


Boas leituras
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 16 de março de 2011

Lançamento ASA: Yu-Gi-Oh Vol.2


A linha Manga da ASA conta com mais um volume este mês: YU-GI-OH! – Vol.2
Sairá hoje dos armazéns da ASA hoje com um preço de 9,50€.
Fica um pequeno press release da ASA:

Um novo jogo vai começar no colégio Domino: chama-se Monstros de Duelo. As regras são apresentadas e o avô de Yugi mostra a sua carta mais rara. Kaiba, pouco escrupuloso, não olha a meios para a conseguir. Por isso, Yugi vê-se obrigado a iniciar um novo Jogo das Trevas…

Boas leituras!
Deixa o teu comentário

sábado, 12 de março de 2011

FVZA: Federal Vampire Zombie Agency


Não, os vampiros não são bonitos… são cruéis, viciosos e feios!
Esqueçam a saga Twilight e séries/filmes/livros afins! Pela mão de David Hine os vampiros voltaram ao seu “status quo” normal! Esqueçam o romantismo (até certo ponto…), esta leitura está cheia de sangue, entranhas e violência, tanto física como psicológica.
Posso dizer já no princípio deste post que é uma excelente leitura, já o li duas vezes sempre com o mesmo prazer… até as reviravoltas que acontecem durante a estória têm quase o mesmo prazer à segunda leitura! A arte pertence a Roy Allan Martinez e Wayne Nichols, e é muito competente! Acho que conseguiram transmitir perfeitamente a ideia de Hine para o papel!
Federal Vampire Zombie Agency começou como sendo um site criado em 2001 pelo escritor Richard Dargan. A empresa ContraFilm comprou os direitos de propriedade de FVZA, que por sua vez encomendou à Radical Publishing a produção de uma série de Banda Desenhada.
O livro está muito bem construído, as primeiras páginas pertencem ao final do livro, sendo o resto da narrativa em flash-back, escondendo até ao final o que se passa no princípio!
A FVZA nasceu durante a vigência presidencial do General Grant , logo a seguir a Guerra Civil Norte – Americana, para combater uma praga de zombies e vampiros que veio da Europa com os primeiros emigrantes… O Dr. Hugo Pecos fazia parte desta agência federal, sendo um proeminente membro. A agência foi fechada quando estas duas estirpes de monstros foram aniquiladas.
O Dr. Hugo Pecos criou os seus netos como se a guerra não tivesse acabado, pois ele não acreditava que os Vampiros estivessem desaparecido, ao contrário dos Zombies, pois o vírus que provocava o apodrecimento da carne e a fome insaciável por carne crua (e entranhas) foi parado por uma vacina!
Repentinamente numa pequena cidade, os seus habitantes começaram a transformar-se em Zombies… e isto para além de um Vampiro que saiu da sombra indevidamente caçando humanos! Assim a Federal Vampire Zombie Agency foi reaberta e o Dr. Pecos imediatamente convidado a participar no combate aos monstros. A sua neta (Landra) e o seu neto (Vidal) encontravam-se prontos e treinados neste tipo de combate logo à partida, ficando imediatamente como operacionais responsáveis para a caça e destruição destes monstros
Não se acredite que é um livro desumanizado! A morte da mãe zombie, e respectivos filhos zombies é chocante de sensibilidade; assim como o casal de namorados que foi tornado vampiro , tornando-os impotentes para amar…
É um livro diferente, que se lê sem parar.
Para quem gosta do género, recomendo vivamente!
Já agora deixo o link do site FVZA:
Federal Vampire Zombie Agency

Boas Leituras!

TPB
Criado por David Hine, Roy Allan Martinez e Wayne Nichols
Editado em 2010 pela Radical Books
Nota : 9 em 10
Deixa o teu comentário

sexta-feira, 11 de março de 2011

Duplas Famosas: Cloak and Dagger


Este é outro dos meus pares favoritos!
Tão diferentes como só a luz e a escuridão o podem ser. Foram criados pelo célebre Bill Mantlo e pelo artista Ed Hannigan, surgindo em 1982 na revista nº64 do "The Spectacular Spider-Man".
Após terem sidos injectados com um substituto de heroína, ganham os seus poderes:
Tyrone (Cloak) pode ficar intangível, teleportar-se e está em contacto directo com uma outra dimensão, Darkforce Dimension... é para aqui que manda os indesejáveis! A sua fome por luz é imensa...
Tandy (Dagger) pode criar adagas de luz pura e brilhante que voam para onde quer que ela queira..., tem ainda a habilidade de curar e de purgar um corpo viciado em drogas!
Tem de se livrar regularmente de muita da sua luz para não ficar sobrecarregada.
Assim sendo são mesmo o par ideal!
Declararam guerra a todos os grupos traficantes de droga, colaboram praticamente com todos os grupos de heróis do universo Marvel, tendo grande protagonismo no arco Maximum Carnage do Spider-Man, e algumas aparições em Civil War, Secret Invasion, Runaways, X-Men e Marvel Knights! Infelizmente nunca tiveram muito sucesso a solo em séries on-going.





Boas leituras!
Deixa o teu comentário

Duplas Famosas: Silver Surfer / Galactus


Dupla famosa que entrou no Universo Marvel pela revista Fantastic Four nº 48, em 1966.
Os seus criadores foram outra dupla famosa, os celebres Stan Lee e Jack Kirby. Esta foi talvez, e considerada por muitos, como a melhor colaboração entre estes dois grandes autores dos comics norte-americanos.
Ao longo do tempo juntaram-se por várias vezes, umas como inimigos, outras como aliados... Deixo os links a outras referências neste blog destes dois excelentes personagens:

Silver Surfer : Omnibus Vol. 1

Marvel Zombies Vol. 2

Capas: Silver Surfer: Rebirth of Thanos

Annihilation

Capas

Ultimate Galactus Trilogy

Avengers : Defenders War

Estas duas imagens são da autoria de Livio Ramondelli, e acho que são excelentes!
:)


Boas Leituras!
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 9 de março de 2011

A Maldição do Faraó - As Aventuras de Adèle Blanc-Sec


Baseado na série de Banda Desenhada com o mesmo nome, irá estrear amanhã, dia 10 de Março, o último filme de Luc Besson.
A série de Banda Desenhada tem a assinatura de Tardi, sendo os seus primeiros três volumes editados por várias editoras ao longo tempo. Neste momento é a ASA quem detém os direitos, já tendo editado um volume duplo em capa dura com as duas primeiras aventuras da jovem Adèle. Está para breve o lançamento do segundo livro duplo na colecção "Os Incontornáveis da Banda Desenhada", editado pela parceria ASA/Público. Sairá também em capa dura, mas só para a FNAC.
Fica uma pequena sinopse sobre o filme e o link para o triler:

Estamos no ano de 1912. Adèle Blanc-Sec, uma jovem e intrépida repórter, disposta a qualquer coisa para atingir os seus objectivos, inclusive navegar rumo ao Egipto para enfrentar múmias de todas as formas e tamanhos. Enquanto isso, em Paris, o pânico está instalado. Um ovo de dinossauro com 136 milhões de anos eclode misteriosamente no Museu de História Natural, e o pássaro invade os céus da cidade espalhando o terror. Mas nada nem ninguém conseguirá parar Adèle Blanc-Sec, cujas aventuras vão revelar ainda mais surpresas extraordinárias.

O link para o trailer:

https://zon-lusomundo.box.net/shared/tkvyqvafun

Ficam também links para outras referências a esta personagem neste blog:

Lançamento ASA: Adèle Blanc-Sec Vol.1

Lançamento ASA / Público: Os Incontornáveis da BD

Bom filme!
Deixa o teu comentário

terça-feira, 8 de março de 2011

O Escorpião Vol.6 - O Tesouro do Templo


O Escorpião
Uma das minhas séries preferidas!
Lançado pela ASA no último Amadora BD (em 2010), este foi o sexto volume de uma série que em França já vai no nono volume, e depois de o ter lido dá vontade de imediatamente pegar no volume seguinte… cabe à ASA satisfazer esta necessidade!
:)
Esta série possui todos os ingredientes para se tornar aditiva: a trama prende, o protagonista é uma espécie de D´Artagnan, Errol Flyn e 007 todos misturados, em aventuras com um enredo de Indiana Jones num ambiente Dan Brown. Para além disso tem personagens femininas extremamente cativantes… elas são bonitas e perigosas!
Felizmente já me esqueci da cara de Draco Molina (Rapaces), à qual a face deste escorpião parecia muito igual.
Quem acompanha a série com certeza que notou a evolução de Marini, tanto no desenho como na aplicação de cor directa, está cada vez melhor! Os leitores agradecem…
Este sexto volume acaba o 2º ciclo da série, iniciado no 3º volume. A demanda da cruz de S. Pedro e do tesouro dos Templários mastigou um pouco nos dois volumes anteriores, mas soltou-se agora no final. Finalmente sabemos porque Rochnan tapa a cara e de onde vem a relação entre Méjai e este. Neste livro o grande vilão, Trebaldi, apenas aparece nas 3 primeiras páginas mas sempre em grande forma no seu papel… assassina mais uma rapariga bonita!
O Escorpião depois de se libertar da armadilha em que caiu no volume anterior, continua as suas aventuras na terra sagrada do oriente num grupo com mais duas adições: os irmãos caçadores de relíquias Fenice e Ferron! Estes já tinham sido referenciados em volumes anteriores, mas agora têm uma boa fatia de acção e protagonismo, sobretudo Fenice, uma bonita rapariga que se apaixona por alguém do grupo…
Digamos que a acção se desenrola rapidamente, sempre criando interesse redobrado em voltar a página, o mistério e as voltas da estória provocam adição…
Existe uma personagem da qual eu gosto mais de livro para livro, Méjai, sempre misteriosa, nunca se sabendo bem para que lado é que vai cair. A cada livro que passa esta personagem vai tomando mais protagonismo, e Desberg consegue ir libertando os muitos mistérios de Méjai pouco a pouco… contendo-se sempre para que o leitor nunca conheça completamente a bonita jovem!
Enfim, uma série que se pode dizer que tem tudo para ser considerada de topo neste género de aventura histórica, baseando-se nalguns factos reais, criando outros ficcionais, colocando o Escorpião num palco de intriga e poder bem arquitectados.
Claro está, e como não podia deixar de acontecer, Marini embeleza tudo isto numa sensualidade sempre latente, protagonizada pelas três mulheres presentes: Ansea Latal, Méjai, e agora neste livro também Fenice, mas esta de uma maneira bem menos ostensiva que as outras duas.
Já agora queria frisar que todos os planos de fundos retratando as terras do Oriente, onde praticamente todo a acção deste livro se passa, são muito bons! O artista Enrico Marini está de parabéns por este trabalho! Esta mescla de BD Franco-Belga polvilhada com um pouco de Manga dá um excelente resultado.
Agora só falta a ASA brindar-nos com mais uns volumes deste Escorpião…
:)
Poderão ler mais sobre esta série e o que se o que se passou para trás neste link:
O Escorpião

Boas Leituras

Hardcover
Criado por Enrico Marini e Stephen Desberg
Editado em 2010 pela ASA
Nota : 9,5 em 10
Deixa o teu comentário

domingo, 6 de março de 2011

Este Mês na Bedeteca de Beja - Março


A Bedeteca de Beja prossegue com o seu excelente trabalho de divulgação da Banda Desenhada! Assim temos mais um mês cheio de actividade, e espero que estes programas mensais sejam para durar.
Mais uma vez dou os parabéns a quem quer dinamizar esta arte com continuidade, e qualidade, que neste caso é a Bedeteca de Beja e os seus responsáveis.
Se continuar assim não terei pejo nenhum em afirmar que brevemente Beja será a capital portuguesa da Banda Desenhada...
Assim segue o programa deste mês:

Exposições






De 26 de Março a 30 de Abril
MECÂNICA POPULAR
Exposição da obra gráfica de José Feitor.
Visita à exposição, com o autor, dia 26 às 18h00.
Galeria Principal – 1º andar.

















De 26 de Março a 30 de Abril
TINTIN
Uma revista dos 7 aos 77
Exposição bibliográfica.
Galeria da Ala esquerda – 1º andar.













Até 10 de Março
COR
15 Ilustradores Portugueses
Exposição de serigrafia com André Letria, Alex Gozblau, André Carrilho, Bernardo Carvalho, Daniel Lima, Filipe Abranches, João Fazenda, Miguel Rocha, Maria João Worm, Nuno Saraiva, José Manuel Saraiva, Pedro Burgos, Tiago Albuquerque, Tiago Manuel e Susa Monteiro.
Uma exposição do Ar.Co. e da Casa da Cerca, com o Centro Português de Serigrafia.
Galeria da entrada - Rés-do-chão.












Até 11 de Março
NO REINO DO TERROR
Exposição bibliográfica de revistas de terror.
Galeria da Ala esquerda – 1º andar


















Até 19 de Março
CARLOS PÁSCOA
Exposição de banda desenhada e ilustração.
Galeria Principal – 1º andar.










MONTRA DE MARÇO


De 1 a 31 de Março
Fanzine Funzip
O Funzip é um fanzine eclético, que junta várias sensibilidades, estilos e influências (dos comics americanos à mangá japonesa). Uma diversidade de estilos e influências que também se reflecte nas temáticas abordadas, que vão da crítica social à ficção científica, ao fantástico ou à aventura pura. É publicado sem interrupção desde 2004. Até ao momento saíram 5 números e uma edição especial. Editado pelo Grupo Entropia, tem como mentores e principais impulsionadores Paulo Marques e Ana Saúde. Pelas suas páginas já passaram autores como Álvaro, Andreia Rechena, André Oliveira, Bruno Silva, Carla Rodrigues, Daniela Varela, Filipe Duarte, Gastão Travado, Guilherme Mendes, J. B. Martins, Joana Lafuente, João Mascarenhas, João Sá-Chaves, Jorge Massuça, J. Veiga, Lara Santos, Melanie Romão, Miguel Martins, Nuno Nobre, Paula Carichas, Pedro Rito, Rui Mourão, Vanessa Nobre e XPeTO (além dos próprios Paulo Marques e Ana Saúde). O projecto foi apresentado em Beja, na última edição do Festival…
Bedeteca – 1º andar.



CINEMA E BD








Dia 10, quinta-feira, às 21h30
Conversas sobre Cinema e Banda Desenhada, por Véte, com exibição do filme VILÕES DA BANDA DESENHADA, de James Dale Robinson.
Bedeteca – 1º andar.
Entrada livre.








CINEMA DE ANIMAÇÃO







Dia 17, quinta-feira, às 21h30
Traços do Japão – Sessões de Anime da NCreatures
PADRINHOS DE TÓQUIO, de Satoshi Kon e Shôgo Furuya, apresentado por Paulo Monteiro.
Bedeteca – 1º andar.
Entrada livre.











NOITE DE WESTERN








Dia 24, quinta-feira, às 21h30
Conversa sobre o célebre Blueberry, de Charlier e Giraud, por Paulo Monteiro, e exibição do filme OS SETE MAGNÍFICOS, de John Sturges, com Yul Brynner e Steve McQueen, apresentado por Hélder Castilho.
Bedeteca – 1º andar.
Entrada livre.








APRESENTAÇÕES








29 de Março, terça-feira, das 17h30 às 19h00
Apresentação do livro Educação Estética Visual Eco-Necessária na Adolescência (MinervaCoimbra), de Elisabete Silva Oliveira. Diálogo com a autora sobre o tema.
Bedeteca – 1º andar.










OFICINAS







Todas as terças-feiras, das 19h30 às 20h30
Ouriço-do-Mar – Oficina de Banda Desenhada
Para autores entre os 8 e os 12…
Bedeteca – 1º andar.
Entrada livre.
















Todas as quintas-feiras, das 19h30 às 20h30
Toupeira – Oficina de Banda Desenhada
Para autores a partir dos 13 anos…
Bedeteca – 1º andar.
Entrada livre.









CLUBES









Todas as quintas-feiras, das 16h00 às 18h30
Lemon Studio – Clube de Mangá
Bedeteca – 1º andar.
Entrada livre.


















Todos os Sábados das 15h00 às 20h00
Magic The Gatering – Clube de Magic
Bedeteca – 1º andar.
Entrada livre.









LIVRO DO MÊS

A Trágica Comédia ou a Cómica Tragédia de Mr. Punch, de Neil Gaiman (argumento) e Dave McKean (desenho).
Donos de uma obra absolutamente singular, quer do ponto de vista da escrita, quer do ponto de vista da narrativa e do grafismo, Neil Gaiman e Dave McKean são dois dos mais excitantes e surpreendes autores de banda desenhada europeus.
A Trágica Comédia ou a Cómica Tragédia de Mr. Punch, uma obra-prima dos 2 autores britânicos, gira à volta do encontro entre um rapaz e um obscuro bonecreiro de passado misterioso. À medida que o bonecreiro revela as suas histórias, o rapaz confronta-se com terríveis segredos de família, pontuados pela violência, pela traição e pelo abuso. Uma fábula negra e desencantada sobre a inocência da infância e a dor da idade adulta.
Dave McKean esteve em Beja em 2008, por ocasião da exposição realizada com o seu trabalho, durante o IV Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.
A Trágica Comédia ou a Cómica Tragédia de Mr. Punch (104 páginas), foi publicada pela Vitamina BD em 2006 (a Bedeteca também dispõe da versão original, em língua inglesa). Neil Gaiman e Dave McKean são também os autores das obras O Dia em que troquei o meu pai por 2 peixinhos vermelhos e Os Lobos nas Paredes, igualmente disponíveis na Bedeteca.



NOTÍCIAS



O Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja aproxima-se a passo largos… Este mês, entre os estrangeiros, destacamos a presença de Aleksandar Zograf e Melinda Gebbie (a célebre autora de Lost Girls fará uma conferência sobre banda desenhada e censura. Um tema muito actual, por uma autora que tem a sua obra interditada neste momento). Entre os portugueses, que são muitos, destacamos a presença de Fernando Relvas, regressado da Croácia há pouco tempo…
O acervo da Bedeteca inclui muitas centenas de publicações - d’O Mosquito, ao Jornal do Cuto, passando pela revista Tintin… O acervo está praticamente inventariado e em breve todas estas centenas de publicações estarão disponíveis para consulta. Uma bela notícia, para quem gosta de sentir o cheiro do papel das velhas edições…









NAS ESCOLAS
Este mês vamos estar em Castro Verde, a fazer uma acção de formação para professores de vários concelhos do Alentejo. Uma acção de formação com uma forte componente prática, já que o que se pretende é que sejam os próprios professores a realizar a sua primeira banda desenhada…

Fiquei agradado com a vinda de Belinda Gebbie ao próximo festival de BD de Beja!
É sempre curioso quando um autor de um famoso livro proibido vem a Portugal, não temos muitas oportunidades para conhecer grandes autores estrangeiros, quanto mais autores proibidos e neste caso a autora Belinda Gebbie, companheira de Alan Moore, que em conjunto com este deve ter o recorde da obra em Banda Desenhada que mais tempo demorou a fazer; para depois o livro ser proibido nos países ditos emblemas da democracia ocidental... o puritanismo é outra espécie de fanatismo religioso!
Fica um link neste blog sobre esta obra:
Lost Girls Collected

Boas Leituras
Deixa o teu comentário