quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Hulk - Gritos Silenciosos
Colecção Oficial Graphic Novels Marvel (Salvat)


Quem me conhece sabe que eu não sou o maior fã do gigante esmeralda, embora tenha uma obra que está entre as minhas favoritas no universo dos super-heróis: Planeta Hulk

Este Gritos Silenciosos é o volume 25 da Colecção Oficial Graphic Novels Marvel, editada pela Salvat, e pertence a uma das melhores fases do Hulk, na minha opinião.

Foram 12 anos que Peter David esteve à frente dos argumentos do Hulk, redefenindo a personagem depois de Stan Lee (o Hulk monstro bruto) e de Roy Thomas e Bill Mantlo (Hulk infantil que só quer estar em paz, longe dos puny humans).

Essencialmente entre os vários desenhadores que o acompanharam nesta grande saga de 12 anos de Hulk, destacam-se Todd McFarlane, com quem iniciou esta sua run no Hulk, e que de facto o ajudou a definir de início a personagem, e três anos depois Dale Keown, o desenhador deste Gritos Silenciosos. De notar que esta dupla ganhou com o Hulk um Eisner Award na categoria "Best Writer/Artist or Writer/Artist Team" em 1992.

O canadiano Dale Keown substituiu Jeff Purves nesta run do Hulk, e os seus visuais casam perfeitamente com os argumentos de David. Um Hulk e um Banner bem caracterizados fisicamente, sem exageros dentro do próprio exagero que é o próprio Hulk. Conheci o desenho de Keown durante a sua run na minha personagem fetiche, The Darkness, onde já tinha admirado o dinamismo que este desenhador imprime nas suas páginas.

Passando para esta caracterização do Hulk feita por David... bem, temos um Hulk com uma densidade psicológica fora do habitual, e bem complexa. Tudo se passa na mente de Banner, e mais que a bomba Gama, na run de David o alter ego Hulk é criado por traumas de infância e abusos do pai, daí termos um psicólogo recorrente nesta fase: Dr Samson.

Outra coisa interessante nesta fase é a relação com Betty Brandt. O seu casamento é bastante bem estruturado na narrativa desta fase, ao contrário de alguns "casamentos" ocos que já aconteceram na História dos comics. Este casamento dá corpo a muitas ideias, muitas fracturas psicológicas, muita luta entre Banner e os seus Hulks!

Falando livro propriamente dito. É uma boa história sim, com alguns momentos WTF próprios dos anos 90, mas temos um início forte com três dos elementos do grupo Defensores juntos: Hulk, Namor e Dr Estranho. Banner continua a dividir as suas 24 horas com o inteligente Hulk Cinza: Banner de dia em busca de Betty, e o Hulk Cinza de noite.
Neste arco que prepara a saída a saída do Hulk Esmeralda (pronto... vá... o Hulk Verde), temos uma grande cena dentro da psique de Banner devido à possessão de um monstro de outra dimensão. Esta cena é muito bem trabalhada pela dupla criativa, assim como mais tarde o desespero de Banner pensando que teria perdido Betty novamente, e logo de seguida reencontrando-o no meio desse mesmo desespero.

A dinâmica de casal entre Betty e Banner/Hulk Cinza também é extremamente bem conseguida. É uma excelente sequência da história feita de pormenores, alguns deliciosos, muito bem encadeados. E claro o momento alto da luta passada na mente de Bruce Banner, entre este e os dois Hulks. Este arco também está muito bom. A fusão dos Hulks e Banner após perceberem que acabam por fazer parte de uma mente fracturada devido aos abusos de Bruce enquanto criança pelo pai, é o exemplo de que quando o argumento e o desenho se interligam perfeitamente temos grande momentos de BD.

Cenas WTF... bem, aquela cena toda de Skrulls e Rick Jones... LOL! E já agora, graficamente aqueles braços, mãos e garras a saírem do traseiro do Bruce... :D

Um bom livro do Hulk.
Aqui por baixo as páginas de divulgação da Salvat. São as primeiras 4 do livro.





Volume 25: O INCRÍVEL HULK: GRITOS SILENCIOSOS
Argumento de PETER DAVID e arte de DALE KEOWN
Este volume reúne as edições 370 a 377 de The Incredible Hulk (vol. 1).
200 pgs.
ISBN: 978-84-471-2818-1
PVP: 11,99€

Boas leituras





Deixa o teu comentário

Enviar um comentário