quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Southern Bastards Vol.1 - Aqui Jaz um Homem



A G.Floy, neste momento para mim é sinónimo de qualidade editorial, publicou em português o primeiro volume da aclamada série de J. Aaron e J. Latour, "Southern Bastards".

Southern Bastards é colocado espacialmente no chamado Sul dos EUA, e torna-se difícil para um leitor não habitante daquela área conseguir captar toda a essência dessa zona geográfica, que tem toda uma cultura muito própria e que os autores transportam para as suas páginas.
Muito provavelmente vão-me falhar muitos pormenores espalhados pelas vinhetas deste livro, devido a essa dificuldade.

Existem partes desta cultura redneck que nós nos facilmente apercebemos, devido a muitos filmes feitos naquela área dos EUA, de resto temos de nos esforçar para criar empatia com aquele cultura sulista, como por exemplo o tema "família" tratado de um modo bastante forte. A família com os seus laços de amor/ódio sempre muito presente aqui neste livro.

As cores base do livro dão-nos conforto na leitura pois estão muito coerentes sobretudo nos planos exteriores, laranjas, castanhos alaranjados, cor de tijolo, magentas, e bastantes mudanças para o quadrante dos vermelhos. Isto faz com que o leitor se identifique bastante com o clima que impera, tanto paisagístico, como em cenas de acção.
Depois todo o desleixo paisagístico... cães vadios, lixo e desarrumação, as roupas muito descuidadas fazem-nos sentir mesmo aquele clima de cidade pequena do Sul.

Aaron faz-nos ao mesmo tempo um retrato de um homem severo e austero no protagonista, muito bem transposto para o papel por Latour, sendo que todas as personagens são pessoas simples, de baixo nível educacional.

Quanto à sequência narrativa, bem, não existem caixas de narração. Não existem explicações ou ajudas de ligação que o narrador exterior, ou presente na acção, dê. E o trabalho de Latour nesta situação é maravilhoso. Um traço agressivo mas que consegue transpor o desespero emocional pretendido por Aaron, assim como a brutalidade de muitas cenas.

Uma das sequências muito boas deste livro quase desde o início são as mensagens telefónicas que Earl faz para alguém que lhe querido, mas que não lhe atende o telefone. Isto repete-se ao longo do livro, e é onde o protagonista mostra mais emoção e sentimento, sempre cada vez mais forte conforme o livro se aproxima do final. Muito bem trabalhado pela dupla criativa.

Um livro que o Leituras de BD recomenda vivamente, um livro que é sinónimo de um excelente casamento entre argumentista e desenhador. Um redneck thriller que o autor chama de southern fried crime comic.





Boas leituras








Deixa o teu comentário

Enviar um comentário