segunda-feira, 29 de maio de 2017

XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja
Opinião e Fotos



No fim-de-semana passado celebrou-se o XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja. Todos os caminhos deram a Beja por essa altura, uma oportunidade para rever amigos, conhecidos, enfim… muitas caras, muitas pessoas.

Oportunidade única também para comprar em primeira mão muitas novidades de BD, conviver com autores informalmente com uma cerveja na mão, visitar as muitas e boas exposições de originais.
Paulo Monteiro

Muitas apresentações, lançamentos, ou simples painéis de autores no auditório do Pax Julia foram feitos, sempre contados ao minuto pelo Paulo Monteiro, o homem (e a sua equipa) que mantém de pé este evento há 13 anos consecutivos.

O ano passado deu-se uma mudança na localização do núcleo principal do evento, passando da Casa da Cultura de Beja onde esteve durante mais de uma década, para o centro da cidade entre o Teatro Municipal Pax Julia e no largo do Museu Regional.

Existem pessoas que gostam mais desta nova localização, mas eu não sou uma delas por várias razões. Embora o Pax Julia tenha tido este ano as exposições muito bem montadas e grande bom gosto na sua disposição não é tão bom como a Casa da Cultura, onde existe um espaço muito amplo em que as exposições centrais “respiram” mais à vontade. De facto o auditório para lançamentos do Pax Julia é bastante melhor, mas as exposições ficam bastante mais labirínticas.

Depois, aquelas arcadas da Casa da Cultura eram um local onde os visitantes podiam descansar e fugir do Sol que não existe no Largo do Museu Regional, onde a natureza faz das suas sem fuga possível para os visitantes, tendo apenas umas árvores para refúgio.

Presumo que sirva melhor a cidade de Beja esta nova centralidade do festival, e este precise do apoio da Câmara Municipal… mas pronto, eu preferia sinceramente a Casa da Cultura.

Outra situação que eu tenho a apontar, e continuo a falar pessoalmente (existe com certeza quem goste), é o palco dos Concertos Desenhados. O local de lazer e descanso (e autógrafos) dos visitantes é precisamente o local onde o palco está instalado. Torna-se muito desagradável estar sentado a beber uma cerveja e conversar com amigos e ouvir durante uma tarde inteira check sounds para os concertos da noite. Ninguém consegue falar sem ser quase aos gritos e de vez em quando a saltar com alguns sons arrepiantes! Não é compatível “zona de descanso e lazer” com um palco em constante check sound e por vezes com pequenos concertos que nem sequer agradam a uma boa parte das pessoas presentes, ou seja, torna-se invasivo e anti-social.

Bem, quanto às exposições em si. Estavam maravilhosas, com muito bom gosto e recheadas com trabalhos de excelentes artistas.
As apresentações decorreram a um bom ritmo no auditório sem se tornarem enfadonhas, e sempre controladas pelo cronómetro do Paulo Monteiro.


O som nos Concertos Desenhados estava bastante decente e para quem gosta deste tipo de evento presumo que foram bastante bons.
Os artistas convidados foram de uma grande simpatia, nunca fugindo à convivência com os visitantes. Apenas faltou um “grande” no festival. Giménez não pode vir devido a ter sido sujeito a cirurgia Foi uma pena, pode ser que venha para o ano!

Quanto à cidade de Beja, continua igual e ela própria: espectacular!

As exposições ficam até ao final do festival, assim como a loja de BD, ou seja, até dia 11 de Junho. Até ao final haverão muitos workshops e um encontro de Urban Sketchers. Podem verificar as datas e horas no programa do evento, neste link:

XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja: Programação






Concertos Desenhados

José de Freitas - Terkel Risbjerg - Judith Vanistendael - Anne-Caroline Pandolfo

Sama - Pedro Moura

Janaína de Luna - Pedro Cobiaco


Juan Giménez



Jorge Coelho





Grazia La Padula





Artur Correia





Paolo Motturi





Flávio Luiz





Judith Vanistendael





Anne-Caroline Pandolfo & Terkel Risbjerg





Pedro Morais




Ricardo Venâncio



Vinhetas da Roménia







Rafael Coutinho







Luís Afonso




Pedro Cobiaco






Geral do festival e da cidade
Pedro Cobiaco e Grazia La Padula - Autógrafos na Kingpin Books

Loja do festival

Loja do festival

Tenda de Modelismo

Loja da Arte de Autor

Loja da Arte de Autor

Loja da Comicheart

Loja do festival

Sama
Loja do festival

Mário Freitas e Pedro Cobiaco

Anne-Caroline Pandolfo, Terkel Risbjerg e Josá de freitas

Visita à cidade por Florival Baiôa Monteiro

Graffiti em Beja



Boas leituras e até para o ano!






Deixa o teu comentário

Enviar um comentário