quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Homem-Aranha: Exposição Negativa



Isto parece um ping pong entre o Aranha e o Valerian nos últimos dias...!  :D

A G.Floy publicou recentemente este livro do Aranha (ainda pré-pacto com o Mephisto), com Brian K. Vaughan no argumento e Staz Johnson nos lápis.

Costumo gostar muito do trabalho deste grande argumentista de BD, Brian K. Vaughan, e acho que não conheço nenhum livro dele que tenha chegado ao fim com a sensação amarga de ter lido um livro intragável. Pelo contrário, temos  Y the Last Man, Fábula de Bagdad e mais recentemente também publicada por esta editora, a G.Floy.

Quanto ao Staz Johnson, trabalhou bastante com Deadpool, vários títulos da Civil War, Batman e porque não incluir também The Unbeatable Squirrel Girl!
De qualquer modo não é um desenhador que eu conheça muito bem.

Vaughan começou a sua actual excelente carreira nos super-heróis em finais dos anos 90 e princípio do século.
Exposição Negativa faz parte deste início de "viagem", sendo a data desta mini-série 2004.

Vaughan faz um take diferente no Homem-Aranha / Peter Parker nesta mini-série, visto que basicamente a história é centrada num outro fotógrafo do Clarim: Jeff Brasi.
E é a queda deste fotógrafo no inferno que Vaughan conta.

Como se sente um fotógrafo profissional de um jornal, com livros publicados e exposições em galerias de arte, que não consegue uma primeira página do jornal para onde trabalha há anos?
Pior, a primeira página vai sempre para um freelancer sem técnica, chamado Peter Parker...

Isto torna-se uma obsessão, aproveitada pelo Doctor Octopus, que vai pôr em causa toda a vida de Jeff Brasi, ou seja, arrisca a sua reputação, a vida de terceiros, a namorada e a sua própria vida apenas com o fim de conseguir uma primeira página no jornal! É a descida ao inferno de Brasi.

Temos o plus de neste livro de ter também o Abutre e o Mysterio, para além do Dr. Octopus. O Aranha basicamente aparece apenas a combater os vilões, porque como disse atrás, a história é centrada em Brasi e na sua triste história, e não propriamente no Aranha ou Peter Parker, que são apenas o gatilho para a obsessão de Jeff Brasi.

A arte e as cores não deslustram, antes pelo contrário, são bastante sólidos e acompanham muito bem toda a narrativa de Vaughan.

Na generalidade gostei do livro, quem comprar penso que não se vai arrepender, embora esta não seja "uma daquelas histórias" do Aranhiço.
O formato está muito bom, para mim é o melhor tamanho para ler comics de capa dura, e parabéns à G.Floy por ter enveredado por este formato oversized da Marvel.

Deixo aqui por baixo parte do press release da G.Floy, assim como as primeiras páginas do livro (as 4 imagens em baixo), que a editora mandou a acompanhar o texto:

HOMEM-ARANHA: Exposição Negativa

Argumento de Brian K. Vaughan e arte de Staz Johnson

A FOTO PERFEITA! O Homem-Aranha e o seu inimigo de sempre, o Dr. Octopus, enfrentam-se de novo numa brutal batalha de egos. Mas o temível Doutor tem uma arma secreta pronta a usar: Jeff Haight, fotógrafo no Clarim Diário, que quer perceber como é que aquele freelancer idiota do Peter Parker consegue sempre as melhores fotos e lhe rouba a primeira página!

O primeiro volume da nova colecção Marvel Deluxe, em que inauguramos um formato novo, um pouco maior que o formato comic tradicional: com 19 x 29 cms de tamanho, este formato irá ser aplicado a futuros lançamentos Marvel como Uncanny X-Force ou Immortal Iron Fist, numa colecção dedicada aos melhores criadores da Marvel, com uma ênfase especial nos argumentistas que têm feito as delícias dos fãs da G.Floy, como Brian Vaughan, Ed Brubaker, Jason Aaron e outros!






Boas leituras
(Se assim o desejarem, posso fazer a crítica ao 2º volume do Valerian para manter o ping pong...) :D








Deixa o teu comentário

Enviar um comentário