terça-feira, 17 de outubro de 2017

Lançamento Arte de Autor: Corto Maltese - Equatória



No ano em que faz 50 anos desde a sua criação por Hugo Pratt, eis que surge o segundo álbum deste herói intemporal por Canales e Pellejero.

A vantagem de ter um herói universal e intemporal é que podemos colocá-lo em qualquer lugar e em qualquer data, desta vez viajamos com Corto até à África Central  de 1911.

Fiquem com a nota de imprensa da Arte de Autor:


“Equatória”
as novas aventuras de Corto Maltese.


1911. Entre Veneza e as selvas da África equatorial, Corto procura o “Espelho do Preste João”, um misterioso objecto relacionado com as Cruzadas. Na sua rota, cruza-se com três mulheres cujos destinos são estranhamente complementares: Aída, uma perspicaz jornalista, Ferida, que monta uma expedição em busca do pai que desapareceu, e Afra, uma antiga escrava.

Segunda história do personagem Corto Maltese escrita sem a participação de Hugo Pratt, criada pelos espanhóis Juan Díaz Canales e Ruben Pellejero é publicada em França em Setembro de 2017.



Argumento: Canales
Desenho: Pellejero
Edição: Cartonada
Número de páginas: 80
Impressão: cores
Formato: 225 x 297 mm
Data de Edição: Outubro de 2017
Editor em Portugal: Arte de Autor
ISBN: 978-989-99674-8-9
PVP: 18,65€



Juan Díaz Canales

Nasceu em Madrid em 1972. Desde muito novo que gosta de
banda desenhada. Aos 18 anos, começou a trabalhar num estúdio de desenhos animados de nome “Lápiz Azul”, onde conhece Juanjo Guarnido, com quem trava uma grande amizade. Começam ambos a realizar um projecto comum que obtém um êxito fulgurante: Blacksad, série da qual acabam por publicar cinco volumes e a qual obteve, em Espanha, o Prémio NacionaldelComic2014.

Estuda Belas Artes em Madrid, e funda em 1996, a sociedade “Tridente Animación” com amigos. Desde então, a sua actividade profissional divide-se entre a sua faceta de desenhador de pré-produção para séries de televisão e longas-metragens de animação, e a de argumentista de banda desenhada, a qual inclui obras como Los Patricios (desenhos de Gabor), ou Fraternity, (desenhos de José Luis Munuera).
É ainda argumentista e desenhador da obra Como Viaja a Água, publicada em Portugal pela Arte de Autor.




Rúben Pellejero
Nasceu em Badalona (Barcelona – Espanha), em 1952. Desenhador profissional desde 1970, dedica-se à BD a partir de 1982 com a publicação de Historias de una Barcelona. Com argumento de Jorge Zentner, assina as histórias As Memórias de Mr. Griffaton e, mais tarde, FM em Frequência Modulada. Dieter Lumpen surge em 1985. Em 1996, publica O Silêncio de Malka obra que no ano seguinte obtem, em Angoulême, o Alph’Art para o Melhor Álbum Estrangeiro. Publica ainda L’Impertinence d’un été (com Denis Lapière) e Loup de pluie (com Jean Dufaux), antes de retomar Corto Maltese em parceria com Juan Diaz Canales.



Boas leituras
Deixa o teu comentário

domingo, 15 de outubro de 2017

Lançamento G.Floy: Tony Chu Vol.7
Macãs Podres



Tony Chu, o detective canibal vai para o 7º volume, e é uma das minhas séries preferidas da actualidade.
Uma excelente informação para os fãs: John Layman, o criador, estará no último fim-de-semana no Festival da Amadora, e a G.Floy planeia um festejo em grande por ter ultrapassado a metade da série
Mais se informa que a G.Floy pede desculpas aos seus leitores, mas vários factores obrigaram ao aumento do preço de capa dos álbuns de CHU, de 9,99€ para 11,99€.




Tony CHU volume 7: Maçãs Podres
Argumento de John Layman e arte de Rob Guillory

A mais nojenta série dos comics ultrapassa a meta da metade (passe a redundância!) e entra na sua recta final! O volume 7 (de 12) chegou, e a tempo dos fãs se prepararem para a vinda de John Layman, o criador e escritor tresloucado - com graves distúrbios alimentares que se reflectem na sua banda desenhada - ao Festival da Amadora!

John Layman estará presente no Festival Internacional de banda Desenhada da Amadora no fim-de-semana de 11 e 12 de Novembro. Estejam atentos a mais notícias!

Tony Chu - o agente federal cibopata com a habilidade de obter impressões psíquicas de tudo o que come - volta ao activo em grande, e mesmo a tempo de enfrentar um temível culto de terroristas adoradores-de-ovos que declararam guerra aos comedores de frango de todo o mundo. Nada óbvio para um detective canibal, mas desgostos, perdão, de gostos não se discute!

O sétimo volume da série bestseller do New York Times, uma tresloucada e divertida história sobre detectives, terroristas culinários, cozinheiros chineses e mesmo de outras nacionalidades, agentes biónicos e combustão espontânea!

...se não leram esta série antes, não leiam! É completamente maluca..
- EatYourComics.com

Agente Secreto Poyo é uma história tão ridícula e parva, que se torna incrível e espantosa e louca. Tão exagerada, que só nos resta adorá-la!
- Gamespot

Vencedor de dois Prémios Eisner - o galardão máximo da banda desenhada anglo-saxónica - e de dois Prémios Harvey - os prémios profissionais dos comics nos EUA - CHU/Chew é uma das mais populares séries independentes actuais.

E visitem ChewComic.com, o site oficial desta série!

Reúne os #31 a 35 dos comics originais da série Chew


Tony Chu volume 7: Maçãs Podres
Álbum, 128 pgs a cores, capa dura. PVP: 11,99€
ISBN: 978-84-16510-44-3


Boas leituras




Deixa o teu comentário

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Lançamento Goody: Linha 'Marvel Especial'




A Goody lança uma nova linha dentro do universo Marvel, a Marvel Especial com uma periodicidade mensal.

Nesta linha vão cair os heróis que estão fora das quinzenais (Homem-Aranha e Vingadores), e estão para já anunciados 3 títulos. Uma pena que vão repetir o "O Velho Logan", já publicado em português recentemente.

Fiquem com a nota de imprensa:

Goody lança nova linha de Banda Desenhada «Marvel Especial»

Continuando a apostar na edição de Banda Desenhada Marvel em versão portuguesa, a Goody, depois do lançamento das linhas Homem-Aranha e Os Vingadores, que chegam às bancas todas as semanas intercalando entre uma linha e outra, lança agora no próximo dia 24 de Outubro a linha Marvel Especial.

Com uma periodicidade mensal, é dedicada a todos os restantes heróis da Casa das Ideias, que, na mesma linha temporal contemporânea de Homem-Aranha e Os Vingadores, estejam com lançamentos relevantes. A primeira série conta com 10 volumes.


CALENDÁRIO DOS PRIMEIROS LANÇAMENTOS

24 OUT 2017: Marvel Especial Vol.1 - Deadpool (com o primeiro arco de história do comic Deadpool #1 a #5 e Deadpool 900)
21 NOV 2017: Marvel Especial Vol.2 - O Velho Logan (composto por “Old Man Logan” #1 a #5)
19 DEZ 2017: Marvel Especial Vol.3 - Guardiões da Galáxia (reúne Guardians of the Galaxy: Mother Entropy #1 a #5 + Guardians of the Galaxy Team Up 10 (Rocket/Deadpool)
(O plano editorial dos lançamentos até ao Volume 10 será divulgado à comunidade no decorrer do mês de novembro)

CARACTERÍSTICAS
Formato: 168 x 260 mm
Encadernação: capa mole, lombada
Nº de páginas: 128
PVP: €7,90
Periodicidade: Mensal










Boas leituras






Deixa o teu comentário

Lançamento ASA: Astérix Vol.37
Astérix e a Transitálica



Será lançado mundialmente no dia 19 de Outubro o próximo álbum do Astérix intitulado Astérix e a Transitálica, que em Portugal será publicado pela ASA, a detentora dos direitos deste grande série europeia.
É já o 3º livro da série "construído" pela dupla Jean-Yves Ferri e Didier Conrad. Será passado em Roma (Itália) e promete muita velocidade em cima de quadrigas!

Podem consultar algumas informações no site em www.asterix37.com, e já aqui por baixo a nota de imprensa da ASA




O Fenómeno Astérix

Finalmente!!! Dois anos após O Papiro de César, Astérix e Obélix estão de partida para uma nova aventura em todas as boas livrarias da Gália e de mais de 25 países do Mundo Conhecido!!!
Acontecimento editorial do ano, o novo álbum de Astérix chega com a sua habitual mão-cheia de tabefes e dentes partidos para deleite dos fãs de aventuras rocambolescas, com os seus inimitáveis jogos de palavras e a sua “justa dose” de História revisitada.

Astérix e a Transitálica é o terceiro álbum assinado pela dupla composta por Jean-Yves Ferri (argumento) e Didier Conrad (desenho). Sempre sob o olhar benevolente de Albert Uderzo, cocriador, com o saudoso René Goscinny, do maior sucesso mundial da banda desenhada, que regista mais de 370 milhões de álbuns vendidos desde a primeira aparição dos dois irredutíveis gauleses, em 1959.

Tudo começa em 1959. Estamos na varanda do modesto apartamento de arrendamento social de Albert Uderzo em Bobigny. Faltam apenas três meses para a saída do número zero da revista Pilote e os dois autores, René Goscinny e Albert Uderzo, estão sob grande pressão. Têm de criar uma série de BD baseada na cultura francesa que seja completamente original. Para criarem os seus heróis, passam em revista a História de França. E de repente, entre duas gargalhadas, Eureka!, detêm-se no período dos gauleses. Foi assim que Astérix fez a sua primeira aparição, a 29 de outubro de 1959, na revista Pilote. Rapidamente esta BD se converterá numa série de culto:
As Aventuras de Astérix, o Gaulês.

Conta René Goscinny:
“Reunimo-nos uma tarde em casa do Uderzo em busca de uma ideia que queríamos que fosse divertida e original. Eu e o Uderzo não demorámos muito a chegar a um consenso: iríamos escolher como tema da nossa história os Gauleses, esses mesmos que, curiosamente, estavam um pouco esquecidos em França e nos pareciam ser um tema cheio de possibilidades! Inspirando-nos no nome de Vercingétorix, que relembrávamos das primeiras aulas de História da nossa infância, batizámos imediatamente as nossas personagens: Astérix, Obélix, Panoramix e outros “ix”. Os nossos Romanos teriam nomes a acabar em “us”, como por exemplo: Caius Feiradaladrus.
E os seus campos fortificados teriam nomes a acabar em “um”: Babácomrum, Aquarium, Laudanum.”


Mais de 58 anos depois… o sucesso perdura.
“Não sei porque é que isto funciona. É algo que nos ultrapassa. Nunca poderei agradecer suficientemente aos fiéis leitores de Astérix. Para eles, toda a minha gratidão e reconhecimento!”, afirma Albert Uderzo.
A poção mágica de René Goscinny e Albert Uderzo: uma boa dose de humor, uma pitada de humildade, um traço excecional, uma narração inteligente, um nadinha de génio, muita amizade, uma vontade indomável, uma franca camaradagem e o enorme talento conjugado de dois grandes criadores dotados de um acutilante poder de observação… e de igual sentido de humor…

A 5 de novembro de 1977 chega a trágica notícia: Goscinny deixa-nos, na sequência de uma prova de esforço efetuada no âmbito de um exame médico de rotina. Tinha 51 anos. É um choque terrível para o seu amigo Albert Uderzo. A partir dessa altura, Albert Uderzo passa a trabalhar sozinho nas aventuras do herói gaulês e funda Les Éditions Albert René. Munido de 26 anos de cumplicidade com René Goscinny, Albert Uderzo escreve e desenha novos álbuns, ratificados por um número sempre crescente de leitores de Astérix.

Em 2011 Albert Uderzo decide arrumar os seus lápis, mas continua a trabalhar com entusiasmo nas personagens do universo Astérix, acompanhando com benevolência Jean-Yves Ferri e Didier Conrad no seu trabalho artístico.




ASTÉRIX EM NÚMEROS

  • 1959: Primeira aparição, em 29 de outubro, na revista Pilote. [Em Portugal, a sua primeira aparição ocorreu em 1961, na revista Foguetão.]
  • 1961: Publicação do primeiro álbum de Astérix – Astérix, o Gaulês. [Em Portugal, publicado pela primeira vez em 1967.]
  • 6000: Número de exemplares da primeira tiragem da edição original de Astérix, o Gaulês.
  • 37: Número de álbuns publicados à data de 19 de outubro de 2017.
  • 111: Número de traduções existentes (línguas e dialetos).
  • 13: Número de filmes baseados em Astérix, dos quais 9 são longas-metragens animadas.
  • 370 000 000: Número total de álbuns vendidos em todo o mundo. Espalhados pelo chão, uns a seguir aos outros no sentido do comprimento, dariam 2 vezes a volta ao planeta Terra. Empilhados, atingiriam uma altura equivalente a 8800 torres Eiffel sobrepostas e pesariam 12 900 toneladas, o equivalente a 400 camiões de 35 toneladas!





Boas leituras




Deixa o teu comentário

sábado, 7 de outubro de 2017

Goody: Actualização do plano editorial



A Goody actualizou o seu plano editorial, conforme a mensagem seguinte:

Fizemos uma ligeira alteração na ordem de saída das edições Homem-Aranha e Os Vingadores que irá ocorrer a partir desta 6ªf em que sairá Os Vingadores Vol. 6 em vez de Homem-Aranha Vol. 6.
Estas alterações resultam da necessidade de melhor articularmos os arcos de histórias entre Homem-Aranha e Os Vingadores e assim salvaguardarmos a correta sequência narrativa.

Ficam com a tabela actualizada em baixo:



Boas leituras




Deixa o teu comentário

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Lançamento Levoir: A Vida de Che




Goste-se ou não de Che Guevara ele tornou-se um ícone histórico, isto para além da cultura popular ter feito o mesmo com a sua figura.

Faz 50 anos no dia 8 que Che foi morto na Bolívia, nada como publicar este mítico livro destruído pela ditadura argentina em 1973, proibindo a sua circulação, compra e edição.

Este livro sentenciou Héctor Oesterheld (argumentista) e as suas quatro filhas à morte com a sua prisão, tortura e assassinato pela ditadura militar.
Portanto, tudo é importante neste livro, aproveitem esta excelente edição da Levoir!
Sai este Domingo, dia 8 de Outubro.



A Vida de Che

Passados 50 anos sobre a morte de Che Guevara, a Levoir e o Público editam no próximo 8 de Outubro “A vida de Che”, obra que relata a vida do ícone da revolução cubana Ernesto Guevara assinada por três dos maiores autores da BD argentina: Héctor Germán Oesterheld e os desenhadores Alberto Breccia e o seu filho Enrique Breccia.
Em Janeiro de 1968, chegava às livrarias argentinas a La Vida del Che, a biografia em banda desenhada de Ernesto Guevara de la Serna, o médico argentino que entraria para a história como Che Guevara. O livro foi um grande sucesso conseguindo vender 60.000 exemplares. O editor Jorge Alvarez responsável por uma das principais editoras argentinas da época, propôs a Oesterheld e a Alberto Breccia - autor de Mort Cinder, obra editada pela Levoir na colecção Novela Gráfica de 2015 – que contassem a vida (e a morte) de Che Guevara em Banda Desenhada. Os dois aceitaram de imediato e a eles juntou-se ainda o jovem Enrique Breccia à data com 22 anos.
Em 1973, a circulação do livro foi proibida na Argentina e a obra foi apreendida e destruída. A perseguição culminou, em 1977, com a prisão, tortura e assassinato, pela ditadura militar, de Oesterheld e das suas quatro filhas. Uma história que chocou a Argentina e o mundo.

Oito anos depois de terem sido destruídos os originais e os exemplares existentes, o livro vê de novo a luz do dia em Espanha através da editora basca Ikusager que o reedita em edição de luxo.

Ernesto Sábato, um dos maiores autores argentinos do século XX, vencedor do Prémio Cervantes de Literatura, 1984, assina um dos prefácios desta obra que se destaca pela sua beleza gráfica e também pela sua história trágica. O prefácio de abertura é da autoria de João Miguel Lameiras.

Características:
Nº de páginas – 96
Formato – 210 x 270 mm
P/B







Boas leituras




Deixa o teu comentário

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Lançamento G.Floy: O Imortal Punho de Ferro Vol.1
A Última Saga do Punho de Ferro



A G.Floy inicia a publicação da série O Imortal Punho de Ferro (The Immortal Iron Fist), com argumento de um escritor persistente desta editora, Ed Brubaker, do qual já temos várias obras publicadas por esta editora, como Velvet e Fatale.

Fiquem com a nota de imprensa:


O IMORTAL PUNHO DE FERRO vol. 1: 

A ÚLTIMA SAGA DO PUNHO DE FERRO

Argumento de ED BRUBAKER & MATT FRACTION, desenho de DAVID AJA

A ARMA VIVA REGRESSA!

Depois de ficar órfão e ser educado na cidade mística de K'un-Lun, Daniel Rand regressou à América vestindo o manto místico do Punho de Ferro, o mestre de artes marciais - mas nem toda a sua habilidade de kungfu o poderá ajudar a encontrar o seu lugar no mundo moderno. Perseguido pelo governo na sua identidade de Punho de Ferro, e submergido pelas responsabilidades da corporação multi-bilionária que herdou como Danny Rand, o jovem guerreiro luta não só para se salvar, mas para se encontrar a si mesmo - mas depois de descobrir que o legado de séculos do Punho de Ferro contém mais segredos que ele alguma vez tinha imaginado, a sua tarefa parece quase impossível.


As novas aventuras do herói que inspirou a série de TV da NETFLIX!

Aventura e acção à moda antiga combinam-se com uma sensibilidade bem moderna neste livro que nos conta as novas histórias do herói da Marvel dos anos 70.”
- Entertainment Weekly

Ed Brubaker é um dos mais aclamados escritores de comics actuais, responsável por muitas séries de sucesso (e um dos argumentistas preferidos da G.Floy, que já editou dele Fatale e Velvet, e se prepara para lançar The Fadeout em 2018). Por várias vezes, pegou em personagens e reformulou-as de maneira inovadora: conseguiu-o com os detectives de Gotham (em Gotham Central), com o universo da Wildstorm em Sleeper, com o Capitão América e Rick Jones em O Soldado do Inverno, e mesmo com o surreal Sandman Presents: Dead Boy Detectives, que pega em duas personagens muito menores da série principal e as transforma em protagonistas da sua própria aventura. E repetiu a façanha com o Punho de Ferro, apoiado por outro grande argumentista, Matt Fraction (que escreveu partes da história, sobretudo as que se passam em tempos antigos com outros Punhos de Ferro).

Onde o Punho de Ferro tinha nascido do fascínio dos anos 70 pelo kungfu e por Bruce Lee, aliado aos filmes de blaxploitation na figura de Luke Cage, o eterno aliado do Punho de Ferro (os Heróis de Aluguer!) e uma das principais personagens afro-americanas da Marvel, Brubaker vai tentar redefinir a personagem para a época moderna. Em primeiro lugar, Danny Rand é um bilionário: o que é que isso significa para a personagem? E sabíamos que já tinham existido outros Punhos de Ferro no passado, mas... quantos? Brubaker e Fraction mergulham no passado dos Punhos de Ferros, constroem uma verdadeira mitologia, mostram-nos Punhos de Ferro do passado distante (e não tão distante), apresentam-nos as Sete Cidades Celestes e mesmo os mestres sobrenaturais de Danny Rand, numa aventura que redefine literalmente o herói.

São aqui secundados pelo artista espanhol David Aja, cujo estilo directo e contido é perfeito para equilibrar as cenas de calma, mistério ou narração, com as de acção. Aja tinha já trabalhado nalguns comics soltos com Brubaker (no Demolidor), mas a saga do Imortal Punho de Ferro foi o seu primeiro passo para se transformar num dos mais conhecidos desenhadores actuais, estatuto que ele confirmou mais tarde na sua premiadíssima fase da série Hawkeye, com argumento do mesmo Matt Fraction com que trabalhou neste volume (e que lhe valeu vários Eisners).


A série Imortal Punho de Ferro foi nomeada para o Prémio Eisner de melhor Nova Série em 2008, e ajudou Ed Brubaker a conquistar o Eisner como Melhor Argumentista no mesmo ano. David Aja ganhou nesse mesmo ano o Prémio Eagle para Melhor Novo Artista.

Inclui os números #1-6 de Immortal Iron Fist e Civil War: Choosing Sides #1

Formato comic deluxe (18,5 x 28), cores, capa dura, 160 pgs.
ISBN 978-84-16510-46-7

PVP: 14,99€

Boas leituras





Deixa o teu comentário