sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Lançamento Levoir: A Vida de Che




Goste-se ou não de Che Guevara ele tornou-se um ícone histórico, isto para além da cultura popular ter feito o mesmo com a sua figura.

Faz 50 anos no dia 8 que Che foi morto na Bolívia, nada como publicar este mítico livro destruído pela ditadura argentina em 1973, proibindo a sua circulação, compra e edição.

Este livro sentenciou Héctor Oesterheld (argumentista) e as suas quatro filhas à morte com a sua prisão, tortura e assassinato pela ditadura militar.
Portanto, tudo é importante neste livro, aproveitem esta excelente edição da Levoir!
Sai este Domingo, dia 8 de Outubro.



A Vida de Che

Passados 50 anos sobre a morte de Che Guevara, a Levoir e o Público editam no próximo 8 de Outubro “A vida de Che”, obra que relata a vida do ícone da revolução cubana Ernesto Guevara assinada por três dos maiores autores da BD argentina: Héctor Germán Oesterheld e os desenhadores Alberto Breccia e o seu filho Enrique Breccia.
Em Janeiro de 1968, chegava às livrarias argentinas a La Vida del Che, a biografia em banda desenhada de Ernesto Guevara de la Serna, o médico argentino que entraria para a história como Che Guevara. O livro foi um grande sucesso conseguindo vender 60.000 exemplares. O editor Jorge Alvarez responsável por uma das principais editoras argentinas da época, propôs a Oesterheld e a Alberto Breccia - autor de Mort Cinder, obra editada pela Levoir na colecção Novela Gráfica de 2015 – que contassem a vida (e a morte) de Che Guevara em Banda Desenhada. Os dois aceitaram de imediato e a eles juntou-se ainda o jovem Enrique Breccia à data com 22 anos.
Em 1973, a circulação do livro foi proibida na Argentina e a obra foi apreendida e destruída. A perseguição culminou, em 1977, com a prisão, tortura e assassinato, pela ditadura militar, de Oesterheld e das suas quatro filhas. Uma história que chocou a Argentina e o mundo.

Oito anos depois de terem sido destruídos os originais e os exemplares existentes, o livro vê de novo a luz do dia em Espanha através da editora basca Ikusager que o reedita em edição de luxo.

Ernesto Sábato, um dos maiores autores argentinos do século XX, vencedor do Prémio Cervantes de Literatura, 1984, assina um dos prefácios desta obra que se destaca pela sua beleza gráfica e também pela sua história trágica. O prefácio de abertura é da autoria de João Miguel Lameiras.

Características:
Nº de páginas – 96
Formato – 210 x 270 mm
P/B







Boas leituras




Deixa o teu comentário

Enviar um comentário